Pesqueiro Castelinho – 28/08/12

castdestaque

Um dia em que tanto os Tambacus quanto as Pirararas estavam em plena atividade apesar do inverno. Excelentes brigas e uma verdadeira surra dos peixes de rabo vermelho nos pescadores do Loucos por Pesca, que tiveram o gostinho de revanche no finalzinho da pescaria. Teve até baguá no apagar das luzes!

 

 

 

Olá amigos!

Após algumas semanas sem pescar, devido a sequência de viagens que fizemos e por estarmos no inverno, este pescador que vos escreve estava ficando literalmente louco! Quem é viciado por pesca sabe o quanto é difícil ficar um tempo sem praticar o esporte que somos aficionados.

Aproveitando que meu grande amigo Edson, membro da Equipe Loucos por Pesca, mas ultimamente bem distante das carretilhas, linhas e anzóis, devido ao excesso de trabalho, estava de férias, marquei uma pescaria para que pudéssemos ir atrás de grandes peixes!

Tivemos muita indecisão sobre o melhor pesqueiro para irmos. Onde estaria saindo peixe?  As duas primeiras opções da lista acabaram sendo descartadas após conversas com os donos dos pesqueiros, então o Gabriel Ishiki sugeriu-me o Castelinho e eu rapidamente aceitei: “claro! como não tinha pensado no Castelinho?”

Infelizmente o Gabriel teve que desistir da pescaria de última hora, mas eu (Kleber) e o parceiro Edson estávamos decididos e empolgados com a pescaria. Passamos em Americana, no velho conhecido Valdevino, e compramos tuviras e piramboias.

Chegamos em São Pedro por volta das 9 horas da manhã, um pouco mais tarde do que desejávamos, mas como nas primeiras horas do dia tem feito frio, pensamos que os peixes estariam bem devagar, ledo engano!


Armamos as varas de fundo em busca das Pirararas. As iscas foram: cabeça de Tilápia, Tuvira e Piramboia.

Logo nas primeiras copadas, percebemos que o dia prometia! Com o tradicional chicote de 2 metros, boinha, 1 eva caramelo na linha e 2 no anzol de robalo 2/0 com miçanga caramelo,  vem a primeira captura nos arremessos iniciais!


Aproveitei a chegada do amigo Fabinho e fui com ele conferir o lago anexo enquanto o Edson armava seus equipamentos. Muitos Tambacus desfilavam na superfície e quando a cevadeira despejou a ração, eles vieram se alimentar imediatamente, ou seja, dá-lhe tamba engatado no eva!


Apesar do inverno, fiquei impressionado com a força que os peixes estavam. As brigas demoravam longos minutos até o bicho se render!


Quando eu fisguei este exemplar, os demais sumiram por instantes. Fiquei conversando com o amigo, esperando alguns minutos e voltei a cevar. Demorou um pouco para eles subirem, mas quando apareceram foi para trazer mais um belo Tambacu aos braços do pescador!



Decidimos voltar ao lago principal para acompanhar o Edson e ver se os tambas também subiam bem por lá. O amigo relatou que o torpedo com minhocoçu já tinha lhe rendido a captura de um bom Tambacu, mas infelizmente não teve como registrar sozinho.

Não tinha problema! Em questão de poucos minutos, a boia afunda novamente! Mais uma vez o peixe briga muito antes de render ao registro do Loucos por Pesca.


O dia estava perfeito!


Com a chegada de algumas nuvens, tínhamos tudo que uma pescaria de cevadeira precisa: calor, pouco vento e nublado! O tempo ajudava e os peixes pareciam famintos!



Parecia que estávamos no verão, de tanto que os tambas estavam comendo a ração na superfície. Em diversos momentos era complicado dos bichos entrarem no eva, mas com paciência e persistência eles acabavam se confundindo em alguns momentos. Era aproveitar e começar a sentir o aperitivo do que teremos no Castelinho na próxima temporada!


Este já era um Tambacu de respeito!


Fisgamos mais alguns tambas, porém não tiramos fotos dos menores. Quando tudo parecia perfeito, o tempo começou a virar e nossa pescaria passou de perfeita para complicada em minutos.

A partir do horário do almoço, um vento muito forte começou a soprar e o sumiço dos redondos foi imediato! Ficamos esperando para ver se passava, porém não havia sequer tréguas momentâneas.

Por volta das 14:30h, um alarme dispara! A minha vara Okuma Elite de 80lbs estava envergadíssima no suporte reforçado, mas a danada Pirarara foi escolher justamente o único equipamento mais leve que eu tinha armado, com uma carretilha Abu Garcia C6601 e linha 0,50mm monofilamento. Tentei segurá-la ao máximo, mas tanto o freio da carretilha quanto meu dedo, foram insuficientes e o peixe conseguiu se enroscar no deck. Tentei de tudo para tirá-la do enrosco, sentia que ela continuava na ponta da linha, mas de tanto raspar a linha rompeu-se.

A esperança estava renovada apesar da frustração pelo peixe perdido. A única Pirarara do dia tinha batido na Pirambóia.

Para aumentar mais ainda nossa indignação, as Pirararas resolveram aprontar mais algumas vezes durante a tarde. O torpedo do Edson, com minhocoçu em um chicote de 1 metro, armado para a pescaria de Tambacus, foi alvo constante das briguentas de rabo vermelho.


Na primeira puxada, vimos que a Kenzaki envergou muito e o peixe demorou um pouco para começar a tomar linha, mas quando resolveu puxar foi muito ignorante e conseguiu o mesmo destino da minha Pirarara. Foi para o enrosco e ali estourou a monofilamento 0,35mm que estava na Curado do amigo.


Cerca de meia hora depois, isso aconteceu novamente com o Edson e não tinha muito o que fazer. Ele havia armado um equipamento um pouco mais forte para pescar com torpedo, com carretilha de perfil redondo e linha mais grossa, mas o peixe arara só queria fazer estrago e atacar os equipamentos mais leves!

Eu também perdi uma Pirarara no torpedo com minhocoçu. Resolvi arriscar já que estava vendo o amigo tendo ações, mas mesmo arremessando bem longe da plataforma, não tinha jeito de segurar o ímpeto das briguentas. Quando elas resolviam tomar linha, era impossível freá-las e estourei a linha da carretilha para evitar que ela levasse para o enrosco.

Já no final da pescaria, resolvi que enfrentaria ela em igualdade de condições! Tirei uma carretilha pesada do equipamento armado de fundo, coloquei com torpedo e minhocoçu e deixei há alguns metros do deck.

O tempo passava e nada do meu torpedo afundar. A todo instante eu olhava pro Edinho e comentava que eu só queria uma chance! O amigo dava risada e dizia que eu estava muito vingativo! Acho que ele estava com razão, mas era uma questão de honra, precisávamos de uma revanche!

Faltando uma meia hora para acabarmos a pescaria, quando tentávamos mais algumas ações na cevadeira, observo meu torpedo afundar bruscamente e largo tudo no chão com brilho nos olhos e parto para o duelo! Como estava com poita, enrolei bastante e deixei a linha ficar mais esticada para descer a pancada na boca do bicho! A vara de 80 lbs enverga bonito e no mesmo instante o peixe começa a tomar linha, seguindo para a parte limpa do lago, um alívio!


O principal objetivo estava sendo cumprido: manter o peixe longe de enroscos! Apesar disso, a briga foi bem pesada e a força da Pirarara era impressionante!


A alegria era imensa e essa Pirarara teve um “sabor” muito especial! Além de ser minha primeira Pirarara no Castelinho, já que esta foi apenas a segunda vez que fui ao pesqueiro, toda esta situação das outras levarem a melhor durante o dia me deixaram com muita vontade de revanche, e ela chegou!


Com muita tranquilidade e paciência, fui cansando o peixe que demorou mas se rendeu!



Era um belíssimo exemplar!


Pirarara em pleno inverno no Castelinho!


As merecidas fotos foram tiradas com a Pirarara!



Peixe acredito que na faixa de 25 kg! Era curta porém muito gorda!



Hora de soltar o troféu da pescaria e guardar as tralhas, correto?


Errado!

Como ainda tinha um pouco de claridade, fiz meus últimos arremessos com cevadeira, mesmo tendo observado que a maioria dos peixes que subiam eram pequenos tambas e pacus.

No meu último arremesso, quando já não conseguia enxergar praticamente nada, tenho a impressão de não enxergar minha bóinha, mas não tinha notado nenhum rebojo em meus evas. E agora? Na dúvida mandei a fisgada e para minha alegria vejo a Kenzaki envergar firmemente!


Trouxe o peixe forçando, até porque tínhamos que ir embora, mas eu também não imaginava o que estava do outro lado da linha. O peixe vem até a margem, reboja e começa a brigar pra valer! As esperanças aumentam e quando ele encosta, adivinhem? Dá-lhe gigante para o Loucos por Pesca!


Um legítimo baguá perto de 25kg!



Não tinha jeito melhor para encerrar a pescaria!


Terminamos de arrumar as tralhas e seguimos viagem de volta, muito satisfeitos pelo bom dia de pesca, principalmente levando em consideração a época do ano em que estamos, com um inverno que não fez tanto frio assim, mas que recebi reclamações de diversos pescadores dizendo que os peixes ficaram muito sumidos!

Gostaria de mandar um abraço ao Gabriel Ishiki, amigo que infelizmente não pode ir nesta pescaria, mas que já está escalado para nossa próxima aventura no Castelinho, ele que é profundo conhecedor do local.

Confira abaixo dois gigantes capturados recentemente por ele no Castelinho!





O Fabinho sempre está por lá também atrás dos Tucunarés e não poderia deixar de mandar um abraço pra ele nesta matéria.



Forte abraço também ao parceiro Felipe, da Penn-Raíba Carretilhas, outro fanático por este pesqueiro, e aproveito para deixar aqui o meu convite para juntos gravarmos uma TV LOUCOS neste lugar espetacular! Minha carretilha da Penn já está encomendada e agora ferrou para as Pirararas!


Aproveite você também e confira os excelentes equipamentos e ótimos preços da Penn-Raíba Carretilhas!

http://www.pennraibacarretilhas.blogspot.com.br/

Confira abaixo o vídeo da emocionante briga com a Pirarara!

Abraços a todos e VAMOS PESCAR!!!

Imagens: Kleber Sanches e Edson Paes

Texto: Kleber Sanches

E-mail: kleber@loucosporpesca.com.br

Castelinho Pesca e Lazer

Rodovia SP-304 – São Pedro/SP

Tel: (19) 3481-3447

www.pesqueirocastelinho.com.br

AGRADECIMENTOS

Hotel Fazenda Duas Marias – www.hotel2marias.com.br

King Fishing – www.roupasdepesca.com.br

Penn-Raiba Carretilhas – www.pennraibacarretilhas.blogspot.com.br

Massa Farofa do Carlão

Você pode deixar um comentário, ou fazer um trackback para o seu site.

6 Comentarios to “Pesqueiro Castelinho – 28/08/12”

  1. Ricardo says:

    Kleber, sensacional!!! Castelinho é f…!!! Abs!

  2. Ricardo Moriya says:

    Boa tarde amigos do Loucos por Pesca.

    Estou planejando uma pesca noturna no Castelinho. Preciso de umas dicas de iscas e estruturas como barraca, iluminação e etc. Alguma outra preocupação além destas??? Conto com o apoio do Loucos e depois da pescaria prometo as fotos para o site.

    Abraços!!!

    Ricardo

  3. FERNANDO FERREIRA says:

    MUITO BOA A PESCARIA KLEBÃO VALEU……

  4. wellington benatti says:

    putz cara essa sim foi uma boa pescaria parabéns belos peixes ,estive ae no castelinho em julho mais naum tive bons resultados mais como toda pescaria a gente nunca sabe q vai pegar é isso ai abraçus …..facebook wellingtonbenatti@bol.com.br

  5. Alessandro Pires says:

    Olá amigos,

    Primeiramente curto muita página de vc’s, desde as materias, dicas e material usado nas pescarias.]

    Gostaria de pedir uma ajuda a vc’s, pois sabado 02/03/13 vamos pescar no castelinho, e gostaria de uma dicas para pescar tamba e pirarara.

    Como faz tempo que não pesco, estou meio desatualizado e provavelmente, vc’s devem estar mais afiados.

    No aguardo agradeço!!!

    E novamente parabens pelas materias….

  6. paulo cesar andrade dos santos says:

    ola amigos quarta dia 20/11/2013 vou no castelinho e queria algumas dicas para cevadeira com eva abraco e aguardo pelas dicas

Deixe um comentario