Pesqueiro Matrinchã – 03/12/11 – TV LOUCOS 15!

O nosso primeiro programa exibido em 2012 foi gravado em dezembro, onde realizamos uma pescaria de grandes Tambacus no Pesqueiro Matrinchã, localizado em São Sebastião do Paraiso, Minas Gerais. A convite do nosso amigo Gabriel Ishiki, fomos conhecer o promissor point dos gigantes!

 

 

 

Olá amigos do Loucos!

Antes de começar a relatar nossa pescaria, gostaria de desejar, em nome de toda a Equipe Loucos por Pesca, um Feliz Ano Novo a todos, com muita paz, saúde, felicidade e muitos peixes na ponta da linha!

Nesse período de final de ano, o site esteve um pouco inativo por alguns motivos pessoais, mas não deixamos de pescar e aos poucos colocaremos as matérias que realizamos para compartilhar com todos vocês.

VAMOS PESCAR!!!

Durante a semana recebi um convite tentador do meu amigo Gabriel Ishiki, um dos membros da equipe Fronteiras da Pesca, para conhecer um pesqueiro que parecia ser o “novo” point dos gigantes Tambacus.

O local já existe há bastante tempo, porém é pouco explorado pelos pescadores, já que em pleno sábado pudemos pescar tranquilamente, sem uma quantidade excessiva de pessoas, mas com alguns amigos que também queriam passar horas de lazer e adrenalina de ter grandes peixes na ponta da linha.

O Pesqueiro Matrinchã fica em São Sebastião do Paraiso, cidade mineira, porém próxima da divisa com o Estado de São Paulo. São aproximadamente 250 km de distância da cidade de Campinas e pouco mais de 350 km da capital paulista.

Saímos de Americana por volta de umas 6 horas da manhã, sem pressa, pois o pesqueiro só abre as 8 horas. Além de mim e do Gabriel, também tivemos a companhia do João, pai do Gabriel, e dos loucos Neto Abdalla e Renan Marin.

Chegamos no local e fomos tranquilamente procurar um lugar, tarefa que não foi das mais fáceis, pois apesar do lago ser grande e não ter tantos pescadores, há muitas árvores próximas uma das outras, o que impossibilita os arremessos.

Achamos um espaço e começamos a montagem dos equipamentos, seguindo os conselhos do Gabriel, que tinha realizado duas ótimas pescarias no local, onde fez uma excelente matéria para o seu site. Armamos uma vara com pão na bóia torpedo e outra com bóia cevadeira, chicotes longos e os esquemas de evas e miçangas.

O grande problema que enfrentamos logo nos primeiros minutos persistiria durante praticamente toda a pescaria, um forte vento que não cessava de forma alguma.

Foi impressionante, mas em uma pausa de poucos minutos no vendaval, a bóia do Gabriel afundou após um bonito estouro na superfície. Era o primeiro Tambacu mineiro chamando o pescador para o duelo. A briga foi boa, o peixe deu trabalho e acabou até nos surpreendendo, pois não era dos maiores, aproximadamente 12 kg de muita valentia!

Em questão de minutos, foi a vez do João ser contemplado com um bonito Tambacu. O peixe fez uma confusão danada, enroscou na vara do Gabriel, mas no final veio parar nos braços do pescador.

Exemplar um pouco maior e novamente fisgado no pão.

Tivemos uma longa pausa nas ações, mas depois do almoço aproveitei a única chance que tive até aquele momento e consegui meu primeiro tamba. Consegui filmar o momento exato em que o peixe afundou meu torpedo, abocanhando o pão. Mais uma cena registrada para a TV LOUCOS!

Os gigantescos não estavam muito ativos e o vento atrapalhou muito durante este dia, porém em outras pescarias feitas pelo Gabriel, grandes Tambacus acima dos 20 kg foram fisgados em boa quantidade.

No meio da tarde, quando as esperanças já estavam bem pequenas de termos uma melhora na pescaria, começou um temporal bem forte. Eu e Gabriel deixamos nossas varas com pão armadas na lateral do lago e fomos correndo pegar as tralhas para tirá-las da chuva, enquanto os amigos Renan e Neto conseguiram se abrigar na lanchonete. Quando voltamos, observei que faltava um torpedo na água e não deu outra! Era a bóia do Gabriel que tinha afundado e ele brigou debaixo de chuva para tirar mais um Tambacu.

O sol começou a brilhar forte e em menos de uma hora mais uma ação aconteceu. Eu tinha acabado de recomendar para o Neto deixar uma vara com pão quietinha que uma hora o peixe entraria, quando a minha bóia desceu após um belo estouro na superfície. Logo de cara percebemos que a briga era mais pesada e demorou para o grande Tambacu se entregar.

Bem negro e gordo!

As ações pararam de acontecer neste lago maior e insistimos bastante no outro lago, onde os tambas comiam, porém muito manhosamente. Sempre ficavam longe das bóias e abocanhavam tudo menos nossos evas e miçangas. Com muita, mas muita insistência mesmo, o Gabriel conseguiu enganar o único Tambacu que resolveu se arriscar a comer algo diferente, fisgou o peixe e, após muito sacrifício, devido ao alto barranco, trouxe o bicho para os braços.

No final da tarde ainda insistimos mais um pouco, porém os tambas não estavam subindo bem na ração, deixando espaço para muitas Tilápias comerem tranquilamente. Juntamos nossas tralhas e carregamos o carro porque tínhamos uma longa viagem pela frente ainda.

Sabemos do potencial do Pesqueiro Matrinchã e pretendemos voltar para fisgar os gigantescos Tambacus. Em um dia mais propício, sem tanto vento, com calor, temos certeza que o resultado será melhor, baseado nas grandes pescarias realizadas pelo amigo Gabriel no local. Devido até ao clima desfavorável, não tivemos resultado na pescaria com bóias cevadeiras, onde os amigos Renan e Neto tanto insistiram.

Acredito que vale deixar algumas pequenas dicas de melhorias aos proprietários, pois são pontos que fariam grande diferença no pesqueiro. As margens são muito altas na maior parte dos lagos e a dificuldade para retirar e devolver os peixes para a água é muito grande, causando riscos ao pescador e a saúde dos peixes (solturas inadequadas). Apesar de deixar o local muito bonito, seria muito bom podar as árvores, criando novos espaços para se pescar no lago maior. A construção de quiosques manteriam as sombras e ainda seriam úteis para o pescador acomodar melhor seus equipamentos.

Veja abaixo algumas fotos das pescarias realizadas pelo Gabriel no Pesqueiro Matrinchã

Agradecimentos a senhora Maria Salete, proprietária do pesqueiro, e a todos os funcionários desse belíssimo local. Pretendemos voltar futuramente para fisgar os gigantes!

Assista abaixo o programa 15 da TV LOUCOS!

Grande abraço a todos e VAMOS PESCAR!!!

Imagens: Kleber Sanches, Gabriel Ishiki

Texto: Kleber Sanches

E-mail: kleber@loucosporpesca.com.br

Pesqueiro Matrinchã

Tel: (35) 3531-2641 – (35) 9975-4101

São Sebastião do Paraíso – MG

AGRADECIMENTOS

Sua Loja Adventure – www.sualojaadventure.com

O Boto – www.oboto.com.br

Massa Farofa do Carlão

Você pode deixar um comentário, ou fazer um trackback para o seu site.

8 Comentarios to “Pesqueiro Matrinchã – 03/12/11 – TV LOUCOS 15!”

  1. Gabriel Zara disse:

    Boa Kleber

  2. Diego disse:

    belos peixes ! parabens ….

  3. Aiiiiii sim, belíssima matéria.
    Parabéns!!!!!!

  4. henrique moreira disse:

    eae cleber blz nao sei se vc lembra de mim soh o henrique que fez uma materia com vc no pesqueiro mococa enfin conheci o matrinxa a mais o menos um ano atraz e vou lah frequentemente rapais nunca pesquei com pao pre

  5. henrique moreira disse:

    nunca pesquei com pao pesco com outraz iscas mas tem amigos meus que jah pescara lah com outros resultados moro perto do pesqueiro mais o menos 40 minutos e vou lah sempre
    qualque dia que voce e a equipe do loucos quiserem retornar lah entre en contato comigo pelo site dai agente tira uns baguas por lah porque o lugar tem muito potencial e tem muito peixe acima do 30 kl enfin quando quiser retornar lah entre em contato comigo
    abracao henrique!!

  6. Marcos Rosa disse:

    Poxa vida cara que materia legal!! – Eu sempre ia neste pesqueiro quando era pequeno , pois meus avos eram de Sao Sebastiao do Paraiso, hoje os dois ja faleceram, mas volte e meia estou na cidade para visitar meus tios , mas nunca mais voltei neste pesqueiro , deu saudades dos velhos tempos!! abrs

  7. Rodrigo Marques disse:

    PESQUEIRO MATRINCHÃ
    No deu muitas alegrias, principalmente nas lindas Cacharas e Carpas que habitam o local, e é claro os TAMBAS, linda matéria parabéns.
    Depois precisamos escrever as nossas…
    Equipe Reis do Lago
    Abraço

  8. Adinan disse:

    Lugar otimo de se passar o dia, excelente de pesca, pesco a quase 10 anos lá, ja vi de tudo por lá…. pena que a infraestrutura do pesqueiro deixa muito a desejar… ja tive varias discussões com o proprietario…mas não adianta ele e muito duro na queda… uma dica sempre que virem tragam uma serra de mão para cortar arvores… eu quero aprender a tecnica no pão, a do beijim ( doce de leite ninho com leite condensado ) tambem tras otimos resultados…mas por incrivel que pareça eu acho a cevadeira com missanga e EVA a melhor opção para pescar os acima de 30 kg…outra dica isca artificial de meia agua entre 8 a 15 cm..garateia super reforçada, sai carpa, cachara e tamba… ja peguei muito peixe assim lá….

    outra coisa muito importante…cuidado em pescar na represa que tem as gaiolas, e batata que perde equipamento…nesta represa onde o dono não gosta que pesque, é onde se encontra os verdadeiros monstros… la tem carpa de 60 kg ou mais e cachara de 50 kg…tamba nem se fala….

    Voces vindo pescar por favor me avisem…

    Abraços

    Adinan

Deixe um comentario