Pesqueiro Recanto dos Peixes – 30/04/11

Apesar desse frio que começa a atrapalhar nossas pescarias, tivemos um excelente dia em Piracicaba. Além dos costumeiros Tambacus, tivemos a presença dos briguentos Tambaquis e das marrentas Pirararas que jogam sujo! Após muito trabalho, um grande exemplar de rabo vermelho se entregou!

 

 

 

Simbóra pra mais uma pesca amigos do Loucos?

O intervalo entre a última pescaria e essa quase deixaram o pescador literalmente louco. A vontade de fisgar os grandes peixes era muito grande e acabei retornando à cidade que vem se mostrando excelente região para a prática da pesca esportiva, a simpática Piracicaba.

Dessa vez o nosso destino foi o Pesqueiro Recanto dos Peixes, conhecido por suas Pirararas e Tambaquis que motivam qualquer pescador a rodar alguns quilômetros de estrada atrás de uma boa briga.

O amigo Leandro e seu primo Roberto foram comigo e no pesqueiro encontrei com meu grande amigo Gabriel, velho parceiro de pescarias. Assim que chegamos, iniciamos a montagem dos equipamentos de fundo e após foi a vez de armar as varas com bóia cevadeira.

Desde que pegamos à Rodovia Luiz de Queiroz, a neblina estava sendo nossa companheira, atrapalhando inclusive nossa viagem, porém não imaginamos que no pesqueiro ela continuaria nos rondando.

Mesmo com todo aquele nevoeiro, alguns tambas já subiam logo no inicio da manhã e foi nesse visual que vi minha bóinha afundar pela primeira vez e garanti o primeiro Tambacu no conjunto de miçanga e evas caramelos.

Após menos de meia hora, o primeiro sinal de peixe de couro. Observamos alguns rebojos bem próximo da margem e resolvi arremessar minha tuvira bem ali. Poucos minutos depois, o alarme da minha carretilha canta forte e vamos em direção à batalha. O Leandro chegou antes, fisgou o peixe e logo me passou o equipamento. Após alguns intantes, ele me pede para sentir como era ter uma Pirarara briguenta na ponta da linha e resolvo deixá-lo seguir o duelo.

Briga boa e peixe nos braços do pescador!

Também seguro a bichona antes de fazer a soltura!

A alegria tomou conta do amigo e foi algo bem legal de compartilhar. Realmente uma Pirarara é algo marcante para qualquer pescador.

Voltei a cevar e não precisei de mais que vinte minutos para trazer o próximo tamba. Dessa vez a briga estava mais forte e com puxadas violentas, característica muito evidente dos briguentos Tambaquis.

O Gabriel até então estava só observando a gente pescar, mas não aguentou e acabou aceitando o meu convite para dar algumas copadas. Emprestei um equipamento e após algumas cevadas ele traz seu primeiro exemplar.

Apesar do grande frio que fez a semana toda no estado, os redondos começavam o dia bem ativos no Recanto dos Peixes.

O Roberto, figura engraçadíssima e que logo levou o apelido de Sucupira, se divertiu na pescaria de fundo.

Foram vários peixes fisgados, principalmente pequenos Tambas e Pacus na ração.

O Gabriel fisgou mais um dos “verdes” na cevadeira e deixou o Sucupira se divertir.

Perto da hora do almoço, resolvi testar um chicote que fiz com evas caramelos, sendo um na linha, 2 no anzol de robalo e uma miçanga clara com desenhos orientais, a qual vem me trazendo excelentes resultados sempre. Conjunto na água e peixe na linha rapidamente!

Enquanto fazíamos essa pescaria com cevadeira, tive duas puxadas em uma vara armada com tuvira próxima ao aerador. Na primeira vez não deu tempo de chegar para a fisgada e ele escapou. Na segunda, o peixe estourou tudo antes mesmo que eu pudesse ferrá-lo.

Coloquei outro anzol, isquei uma grande tuvira e mandei exatamente no mesmo ponto. Encaixei a vara no suporte e fui dar uma puxada na linha para verificar como estava a fricção, quando senti um tranco muito forte e a linha começou a esticar em minha mão, algo que nunca poderia imaginar. Vi a linha correndo na água e não tive dúvida: meti-lhe a fisgada! A briga começou forte e o peixe se mostrava muito bruto, tentando sempre ir para o enrosco do aerador. Como este equipamento não era dos mais pesados, vara de 50lbs e carretilha de perfil redondo da Abu Garcia com linha 0,50 monofilamento, não tive como segurar e ela enroscou-se. Deixei a fricção solta, ela acabou saindo mas logo conseguiu ir de novo para o aerador e lá entocou-se. Com a ajuda do Gabriel, que de maneira brilhante me auxiliou para tirar do enrosco, consegui retomar a batalha e trouxe a brutona para os braços!

Como forma de agradecimento, chamei o Gabriel para compartilhar a alegria!

Robertinho Sucupira não ficou de fora e realizou a soltura da bigoduda.

Os amigos fizeram uma pausa para almoçar, enquanto eu e Gabriel ficamos conversando na beira do lago e observamos uma boa quantidade de tambas subindo do lado oposto. Não aguentamos e fomos lá para cevar, fisgando alguns peixes e inclusive tirando um dublê de Tambaquis, mas não foi possível registrar direito porque eles estavam se debatendo muito e após o proprietário, Sr. Dida, tentar tirar algumas fotos, resolvemos fazer a soltura para preservar os peixes.

Tambaquis valentes dando um baile nos pescadores!

De volta ao nosso ponto, continuamos a cevar e conseguimos fisgar muitos tambas durante toda a tarde!

A todo momento tinha alguém com a vara envergada e logo em seguida tinha peixe nos braços!

Ainda perdemos alguns peixes já fisgados, fato comum na pescaria com cevadeira.

Enquanto isso, nossas varas armadas para os peixes de couro ficaram sem nenhuma puxada durante todo o restante do dia. O Gabriel acabou indo embora um pouco mais cedo e não participou do festival de fisgadas feito no final do dia.

Um amigo ao lado fisgou um grande Tambacu com sebo de boi na superfície. O peixe devia ter algo em torno de 20kg. Essa é uma isca que com certeza levarei da próxima vez que for ao Recanto dos Peixes porque dizem ser muito boa por lá.

Continuamos cevando e fomos fisgando os últimos peixes do dia. Foram dezenas de exemplares, mas quando o sol parou de brilhar forte no lago, os menores também começaram a comer demais.

Alguns peixes de porte razoável foram capturados e registramos.

Os gigantes Tambaquis que habitam esse lago do Recanto dos Peixes infelizmente não quiseram aparecer, mas continuaremos tentando buscá-los porque sabemos que eles estão por lá.

Gostaria de agradecer ao Beto pela confiança e boa recepção de sempre e a todos os funcionários do Pesqueiro Recanto dos Peixes. Um abraço também ao proprietário e amigo Sr. Dida, que mostrou-se grande pescador com suas belas fisgadas na vara de mão.

A viola comeu solta no final da tarde no pesqueiro e fez a viagem na volta passar rapidão! Valeu Leandro e Robertinho Sucupira, que dupla figuraça!

Abraços a todos e até breve em mais uma matéria do Loucos! Vamo Pescá!!!

Imagens: Kleber, Leandro, Roberto e Gabriel

Texto: Kleber Sanches

E-mail: kleber@loucosporpesca.com.br

Pesqueiro Recanto dos Peixes – Piracicaba/SP

Estrada Jacob Canele, 166 – Fone: (19) 3434-2895 (Beto)

AGRADECIMENTOS

O Boto – www.oboto.com.br

Massa Farofa do Carlão

Você pode deixar um comentário, ou fazer um trackback para o seu site.

4 Comentarios to “Pesqueiro Recanto dos Peixes – 30/04/11”

  1. Leandro disse:

    Fala meu velho!!
    Foi muito bacana a pescaria.. vamos marcar muitas outras!!
    Só faltou o Dudu ficar com a gente até o final neh aeuhaeuhaeuhae
    E da próxima vez a gente leva umas sucupiras tbm pra ver se pega uhaeuhae
    Um abraço!!

  2. Gabriel Zara disse:

    Bela materia em Kleber… pow levou o Leandro ? ele e muito mala kkkkkkkk, zuera
    varios tambas em Parabens. So falto eu hahahah zuera

  3. Paulo Roberto disse:

    Gostaria de saber quanto custa a entrada neste pesqueiro e se posso levar algum tipo de alimento ou bebdida?
    Obrigado.

  4. Xande disse:

    Bacana a pescaria hein?! Um dos caras ao até parece o Dudu Nobre!

    Abraços loucos!

Deixe um comentario