Pesqueiro do Italiano – 13/01/11

Na matéria de hoje vamos relatar três pescarias de final de tarde que fizemos no Pesqueiro do Italiano, local conhecido por habitar grandes tambas. Apesar da estrutura simples, o pesqueiro tem um lago que nos permite boas brigas com os peixes. Muitos redondos e alguns baguás apareceram!

 

 

 

Nossa primeira pescaria aconteceu no finalzinho do ano de 2010, mais precisamente no dia 29 de dezembro. Resolvemos ir bater nossas cevadeiras atrás dos “brancões” já que no Italiano existem muitos Tambacus com essa coloração mais clara.

Chegamos ao pesqueiro por volta das 15 horas e como sempre montamos apenas uma vara. Estava usando uma New Pampo 2,4 metros, carretilha Shimano Curado 201e, bóia cevadeira e chicote de 3 metros com evas e miçanga.

Logo nos primeiros arremessos vem a ação inicial de nossa pescaria. Renan engata um bom tamba e já mostra que poderia ser o seu dia.

Estava muito quente e nubladas eram muito raras. Em uma chance muito rápida, quando o sol foi encoberto pelas nuvens, Renan pega o segundo.

Tivemos uma paradeira devido ao forte sol que não dava trégua. Dessa maneira os redondos não estavam subindo, mas sabíamos que as ações deveriam melhorar conforme o final da tarde fosse se aproximando. Na base da persistência, um Tambacu ataca meu anzol e leva uma fisgada firme e seca da linha multi. Briga boa e meu primeiro aparece.

Peixe de cores muito bonitas.

O sol começou a descer no céu e os tambas começaram a subir melhor para comer a ração. Não perco a chance e garanto mais um pro Loucos!

Muitos leitores vieram conversar conosco este dia e aproveitamos pra registrar essa garota que ficou lá torcendo por nossas capturas. Quando fui realizar a soltura deste peixe, a bóinha do Renan desceu.

O que não sabíamos era que o Renan tinha um baguá na ponta da linha. A briga é boa, bruta e um Tambacu de 23kg se rende depois de muitas idas e vindas pelo lago.

Belíssimo brancão do Italiano!

No finalzinho da tarde, alguns peixes subiram e para fechar o dia vem o último para os braços do sortudo pescador.

Esperamos a virada do ano e resolvemos fazer nossa primeira pescaria de 2011 no dia 08 de janeiro, já que sabíamos que bons tambas poderiam aparecer. Dessa vez quem me acompanhou foi o Kleber e mais uma vez partimos no final da tarde em busca dos redondos do Italiano.

Começamos a cevar e os tambas logo apareceram manhosamente sugando as rações. Meu parceiro consegue garantir o primeiro no conjunto com evas e miçanga marrons.

Infelizmente o tempo virou muito rapidamente e não tivemos tempo de fazer novas capturas antes do temporal chegar em Estiva Gérbi. O tempo prejudicou demais nossa pescaria, mas mesmo assim conseguimos fisgar bons tambas. Eu estava no restaurante me protegendo da chuva, quando vi a pancada na flor d´agua e o Kleber travando o bicho. Fui até lá pra ajudar e registrar um brancão.

A chuva diminuiu um pouco no finalzinho do dia e aproveitamos a garoa para voltar a cevar. Os peixes não estavam subindo muito, mas quando eu menos esperava minha bóinha afundou com a pegada no eva e miçanga caramelo.

Um dos negros Tambacus aparece.

Foi o tempo de soltar, encher o copo de ração e arremessar para eu ter novamente um peixe na ponta da linha.  A bóia não ficou mais que um minuto parada e logo foi puxada com força pra baixo. Enquanto eu brigava com o bicho, um casal ao nosso lado fisgou um bonito tamba e registramos.

Logo em seguida, foi a vez do meu redondo se entregar.

Antes de guardarmos nossas tralhas, mais uma vez o dilúvio aparece e o Kleber foi premiado pela persistência garantindo o último tamba da nossa pescaria.

Guardamos nossas coisas no carro e fomos embora já pensando em voltar brevemente para tentar com tempo melhor pegar os gigantes do Italiano.

Nossa última pescaria aconteceu no dia 13 de janeiro e novamente foi o Renan que me acompanhou na jornada. Não conseguimos sair no horário que queríamos e chegamos no pesqueiro após as 16 horas.

Não perdemos tempo e logo iniciamos as copadas. Para nossa felicidade os tambas resolveram aparecer rapidamente e assim começaram as fisgadas. A sequência do Renan foi impressionante.

Em menos de cinco minutos ele já tinha o segundo tamba engatado na ponta da linha. Os grandes estavam subindo nesse dia e assim os Pacuzinhos não tinham vez na briga pela ração. Dá-lhe brancão pro Loucos!

Para fechar a sequência, Renan arremessa no mesmo ponto onde fez as primeiras capturas e garante o terceiro peixe em menos de vinte minutos.

Demorei um pouco até achar o conjunto ideal para esse dia, mas na miçanga preta consegui fisgar o meu primeiro.

Não ficamos mais que dez minutos sem ações neste dia. Era jogar no ponto certo e aguardar a pancada na flor d´agua. O Renan garantiu um grande Tambacu, que demorou bem pra se render aos seus braços.

O tempo estava ideal neste dia. Muitas nuvens rondavam o pesqueiro e a sombra nos garantiu uma boa pescaria de cevadeira. Antes de irmos embora, fisgamos os últimos peixes da nossa aventura de final de tarde.

Renan encerra o que foi uma tarde surpreendente. Não esperávamos fisgar tantos redondos de bom tamanho em tão pouco tempo de pescaria.

Arrumamos nossas tralhas e voltamos mais uma vez com grande vontade de retornar em breve ao Pesqueiro do Italiano. Os grandes tambas estão saindo e logo voltaremos atrás deles.

Gostaríamos de agradecer aos funcionários que sempre nos atendem muito bem.

Abraços Loucos!

Imagens: Neto Abdalla, Renan Marin

Texto: Neto Abdalla

Pesqueiro do Italiano
Estiva Gérbi-SP
(19) 3868-6188 ou (19) 9649-4639

Você pode deixar um comentário, ou fazer um trackback para o seu site.

5 Comentarios to “Pesqueiro do Italiano – 13/01/11”

  1. Gabriel Zara disse:

    Muito show essa materia Loucos. Tambas muito lindos

    E Neto vc ainda vai pescar no santo antonio ?

    abracos

  2. Fernando disse:

    Parabéns, LOUCOS !

  3. Grazi disse:

    Essa piramboia é grande msm heim Renan!parabéns pelo baguá.

  4. Renan disse:

    Que nada Grazi, teve gente lá no Italiano perguntando se era Pirarucu… Teve que ouvir um sonoro e educado “eh” hahahahahahahahahahahaha
    Agora que você já sabe que lá tem Piramboia, pode ir com a gente de vez em quando, tentar pegar a sua 1a!!!

  5. gabaov.maria disse:

    Como faço para chegar até o pesqueiro pela dutra ou fernão dias.
    E valores pesca esportiva por kilo oudiaria obr.

Deixe um comentario