Recanto dos Peixes (Piracicaba) – 04 e 11/12/10

Uma excelente pescaria de Tambaquis no Pesqueiro Recanto dos Peixes de Piracicaba, interior paulista. Muitos exemplares dessa fascinante e brigadora espécie amazônica foram fisgados e deram muito trabalho para os pescadores da Equipe Loucos por Pesca. 

 

E ai amigos do Loucos!

Desta vez vamos relatar dois sábados da nossa equipe no Pesqueiro Recanto dos Peixes de Piracicaba-SP. Ações não faltaram em nenhuma das pescarias e muitos Tambaquis apareceram pra duelar conosco na ponta da linha.

Eu já tinha sido convidado diversas vezes para ir conhecer esse pesqueiro, porém acabava indo para outro lugar ou não podendo pescar nas datas que recebia o convite. Dessa vez fiquei um pouco mais empolgado após receber boas notícias do meu amigo Gabriel, parceiro frequente de pescarias. Os gigantes Tambaquis do Recanto tinham se mostrado ativos nas semanas anteriores e decidi topar esse novo apelo do amigo.

No dia 04 de novembro, um belo sábado de muito sol e calor, sai de Campinas e junto com os amigos Gabriel Ishiki, seu pai João e o André (fiel leitor do Loucos por Pesca) fizemos uma boa pescaria que relatarei primeiramente.

A informação era de que o hábito desses gigantes havia mudado devido a melhoria da qualidade da água do pesqueiro. Foram contratados profissionais para tratarem a água e com isso os peixes começaram a se alimentar de ração. Sendo assim apostamos tudo na pescaria com bóia cevadeira, evas e miçangas.

Logo no começo, aproximadamente as 7:30 da manhã, utilizando 4 evas caramelos na linha, 2 no anzol de robalo e uma miçanga café com leite, vem o primeiro grande estouro do dia. Os Pacus e pequenos Tambas subiam bastante e davam rebojadas, mas os grandes Tambaquis eram notados apenas com a boca para fora sugando as rações bem lentamente. Procurávamos por essas características e o arremesso tinha que ser certeiro. Arremessei em cima dos bichões e vi o gigante abocanhar manhosamente minha isca. O rebojo foi grande e a fisgada bruta. Senti um bom peso na linha e iniciei a briga que foi mais intensa quando ele encostou perto da margem e pude ver o grande lombo amarelão. Aos poucos vou controlando e os amigos me ajudam a retirá-lo da água.

Um belíssimo exemplar de Tambaqui.

O peixe era muito gordo e forte. Foram diversas pancadas no meu peito e nada do bicho se acalmar.

Fiz a soltura e voltamos a cevar, já animados com o excelente inicio da pescaria.

Infelizmente a espera por outra fisgada foi grande. Muitos peixes de pequeno porte subiam na ceva, alguns eram fisgados por nós, mas na maioria das vezes nós até tirávamos as bóias da água para evitar que os pacuzinhos entrassem.

As 11 horas da manhã, a segunda ação de Tambaqui aparece e dessa vez o sortudo foi o Gabriel. Novamente no eva e dessa vez com caroço de azeitona entrou um bonito exemplar.

Sorte do Gabriel que o peixe estava bem cansado e não deu muito trabalho fora da água.

Mesmo capturando bons exemplares na parte da manhã, o Gabriel já me revelava que os Tambaquis estavam pouco ativos se comparado às semanas anteriores em que ele tinha ido lá pescar. Como eu sou um otimista por natureza, fingi que não tinha ouvido e continuei insistindo e cevando.

Após mais uma hora sem ações, o João fisga um Tambacu e traz para registrarmos.

Em menos de cinco minutos foi a vez do Gabriel também garantir seu primeiro Tambacu do dia. Nosso grande objetivo da pescaria era ir atrás dos “verdões”, mas os tambas como sempre são muito bem-vindos. A briga com o híbrido e o peixe amazônico é consideravelmente diferente, pois os Tambaquis são mais brigadores e possuem muita força.

Na sequência, foi a vez do André tirar a sorte grande. Ele tinha arremessado bem no meio do lago, e um pancada muito forte nos chamou a atenção. Quando olhei percebi que até mesmo a cevadeira tinha ido pra baixo e a vara já envergava bem na mão do pescador. A briga foi excelente e logo vimos que se tratava de um grande Tambaqui. Aos poucos e com muita paciência o André conseguiu cansar o peixe, encestei o bicho no passaguá e tiramos da água. Chegamos a pesá-lo e registrou 19kg, mas infelizmente o peixe se debateu muito e o pescador não conseguiu segurá-lo. O Gabriel ainda tentou ajudar, mas o Tambaqui acabou voltando pra água sem registro. Eu confesso que não sabia se dava risada ou chorava pela cena, pois foi muito engraçada, mas acabamos ficando sem foto desse belo exemplar.

O Gabriel e seu pai João tiveram que ir embora as 16 horas devido a compromissos e nós continuamos na luta pelos bons peixes do Recanto. O André terminava de tirar um bom Tamba, quando ele simplesmente escapou a menos de dois metros da margem. Eu tive mais sorte e consegui garantir meu primeiro Tambacu no final da tarde.

Cerca de meia hora se passou, os peixes já subiam um pouco mais devido ao horário e ao sol ter ficado mais ameno, quando lá vem pancada na flor d´agua. Como eu estava com linha multifilamento, não era preciso nem fisgar muito forte e a linha logo esticava com a puxada bruta dos peixes. Mais um brigador no duelo e a expectativa era grande pra ver se era dos verdões. Quando o peixe deu a primeira cabeçada pra fora da água, não contive a felicidade e já chamei o André pra me ajudar a tirá-lo com o passaguá. “Vem que é ele!”

Espera recompensada com um belo Tambaqui.

Reparem na saúde do bicho. Muito largo!

Infelizmente ele estava com um machucado na parte superior da boca, que é bem provável de ter sido causado pelo uso indevido do alicate de contenção. É uma pena que alguns pescadores continuem utilizando esse instrumento em espécies que não deveriam.

Devolvi o peixe ao lago e foi uma bela cena observá-lo nadando tranquilamente após uma boa briga.

O final da nossa pescaria tinha chegado, mas ainda tivemos tempo de fisgar os últimos exemplares. Em menos de meia hora já garanto mais uma fisgada e dessa vez a briga é diferente e característica dos Tambacus desse pesqueiro. Eles vem tranquilos até a margem e ai sim começam a tomar linha e brigam bem.

Soltei rapidamente o peixe e fiz outro arremesso no centro do lago na correria para tentar mais algum. A bóinha não fica mais do que dez segundos na superfície e já desce novamente. Todos os peixes foram fisgados na cevadeira, com evas na linha, dois no anzol e os melhores resultados tive na miçanga caramelo.

Após um dia de pouca sorte e de ter um grande Tambaqui voltando pra água sem registro, o André conseguiu acertar a mão e garantiu um bom peixe no final do dia. A noite já estava caindo em Piracicaba quando ele trouxe um Tambacu para os braços. Há muitos desses tambas “prateados” por lá.

E assim terminou minha primeira pescaria no Recanto dos Peixes de Piracicaba. Belos peixes fisgados, alguns Tambaquis que nos deixam fascinados pela sua força, brutalidade e beleza.

Os funcionários foram muito atenciosos e o Alberto, um dos filhos do proprietário e que administra o pesqueiro, me convidou para voltar já nos próximos dias. O ideal, segundo ele mesmo disse, era fazermos uma pescaria durante a semana, pois assim teríamos menos pescadores no lago, mas infelizmente eu só poderia voltar no sábado e foi isso que combinamos.

Uma semana se passou e lá estava novamente o “Loucos por Pesca” pegando a estrada rumo à Piracicaba. O local fica a pouco mais de uma hora de Campinas e logo chegamos. Dessa vez tive a companhia do Neto, amigo viciado em pescaria com bóia cevadeira da nossa equipe.

Chegamos ao Recanto dos Peixes e iniciamos montando uma vara para tentar os peixes de couro. Deixamos em uma das esquinas do lago, com tuvira de isca e fomos armar os equipamentos para a pesca de superfície.

Logo engato o primeiro do dia e era um de nossos cobiçados Tambaquis. O peixe puxava bem forte e chegou a nos enganar, pois parecia bem maior devido tamanha brutalidade.

O Neto também fisga o dele logo no comecinho e já pudemos perceber que seria um dia de muitas ações. Os gigantes ainda não estavam subindo, mas a força desses que pegamos era de impressionar.

Fizemos amizade com muitos pescadores nesses dias que pescamos por lá e um amigo que estava ao nosso lado engatou um peixe que estava lhe dando muito trabalho. Ajudei o parceiro, pois percebi que se tratava de um peixe de couro e observei que ele corria em direção ao aerador. O pescador não conseguiu impedir e o bicho se entocou no equipamento, mas com paciência ele saiu de lá e veio para a foto. Pela briga achei que fosse uma Pirarara, mas foi uma grande Pincachara que apareceu.

A isca utilizada foi uma salsicha no fundo.

O sol ainda estava aparecendo timidamente quando vi minha vara armada com tuvira dobrar muito na beira do lago. Sai em disparada e consegui fisgar a tempo. A briga me mostrava algo diferente, pois as puxadas não pareciam de peixe de couro. Quando vem a primeira rebojada, um grande Tambacu aparece para animar-me.

O bichão pesou 16kg na balança digital. Fisgado de maneira inusitada, roubando a tuvira armada para uma Pirarara.

Isquei novamente uma tuvira e arremessei a isca no mesmo lugar. Exatamente uma hora depois, vejo minha vara deitando e consigo novamente trazer o peixe para foto. Os redondos estavam devoradores de tuvira nesse dia, porém esse já era de menor porte.

Ainda na parte da manhã, começamos a pegar muitos Tambaquis. Os gigantões não queriam comer e era muito raro ver algum deles na superfície sugando ração. Dessa forma registramos os esfomeados e briguentos.

Foi saindo um atrás do outro. Brigas compatíveis com Tambacus na faixa de 12kg eram travadas com esses bichos. A força era realmente de se impressionar e nos enganavam no começo.

Entre um verdão e outro, aparece um Tambacu pra foto.

Fizemos uma pausa porque o calor era muito intenso e aproveitamos para almoçar. Após um descanso necessário, voltamos a bater cevadeiras e o resultado continuou igual, muitos Tambaquis na ponta da linha.

Toda hora tinham “verdes” abocanhando com tudo nossas miçangas. Assim como da outra vez, pescamos sempre com evas na linha, 2 no anzol e variando entre miçangas, coquinho, caroço de azeitona, semente de açaí etc.

Redondos de diversas colorações apareciam pro “Loucos”.

Quando parecia que alguns Tambaquis maiores esboçavam subir, começou uma tempestade muito forte na região. A chuva veio com força e o vento também marcou presença para piorar a situação.

Quando imaginávamos que ela daria uma trégua, após menos de cinco minutos vinha outra pancada pra nos desanimar.

Em uma das aberturas de sol momentâneas, aproveitei e trouxe mais um Tambaqui briguento.

E para encerrar mais um dia de pescaria nesse belo reduto de peixes, não podia fisgar outra espécie. Esse um dos maiores do dia, pesando pouco mais de 10kg na balança. Dá-lhe Tambaqui!!!

Em homenagem ao meu grande amigo e parceiro de equipe Márcio Giannico, a famosa “matada” no peito.

E assim finalizamos nossa pescaria com uma grande vontade de voltar já em breve no Recanto dos Peixes. Local muito agradável, cercado por muita natureza e diversas árvores que ajudam inclusive a desviar o vento do lago, tornando o local muito propício para a pescaria com bóias cevadeiras.

Aproveitei para tirar algumas fotos do pesqueiro antes de pegarmos a estrada.

Lago esportivo

Lago que permite excelentes arremessos e brigas espetaculares

Vale ressaltar que o Pesqueiro Recanto dos Peixes funciona 24 horas. Você e seus amigos podem chegar em qualquer horário e já iniciarem sua pescaria.

Lanchonete e restaurante que servem diversos salgados, refeições, bebidas, sorvetes etc.

Gostaríamos de agradecer a todos os funcionários pelo excelente serviço que nos foi prestado e especialmente ao Beto que nos recepcionou muito bem e nos convidou para voltarmos sempre nesse agradável pesqueiro que serve de moradia para gigantescos Tambaquis e Pirararas, entre outras espécies.

Abraços a todos e VAMOS PESCAR!!!

Imagens: Kleber Sanches, Neto Abdalla, Gabriel e André

Texto: Kleber Sanches

E-mail: kleber@loucosporpesca.com.br

 

Pesqueiro Recanto dos Peixes – Piracicaba/SP

Estrada Jacob Canele, 166 – Fone: (19) 3434-2895 (Beto)

Você pode deixar um comentário, ou fazer um trackback para o seu site.

12 Comentarios to “Recanto dos Peixes (Piracicaba) – 04 e 11/12/10”

  1. rafael moda fava disse:

    show de bola, parabéns…

  2. Ricardo disse:

    Lindos tambaquis….agora vocês poderiam agendar uma pesca noturna para fisgar as pirararas…com certeza seria outra bela matéria.
    Abraços, Ricardo.

  3. Fernando disse:

    Parabéns loucos, apesar do André não pega nada, ta bom HAHAHAHAHA
    André só pega peixe no taquari, abraço a todos, Fernando

  4. Josberto disse:

    Que show de tambaquis loucos. Parabéns por mais uma excelente matéria. abraco t+

  5. Pedro Paulo disse:

    Impressionante a quantidade de verdões fisgados galera. Continuem assim nos dando dicas que acesso sempre o site de vcs. To esperando aquela dica do pão prometida klebão. abraços

  6. Heitor cps disse:

    Vou marcar para conhecer esse recanto até o final desse ano ainda. O pesqueiro lota mto de sábado? Com quais iscas vcs pegaram esses tambaquis? valeuuu

  7. Paulinho Piracicaba disse:

    E ai amigos novos do Loucos. Estive pescando com vcs lá no Recanto e queria dizer que gostei mto do site e de fazer novas amizades na pescaria. voltem sempre aqui pra pira. abracao

  8. Renato disse:

    ótima pescaria!! E um final de semana lá com pesca noturna daria uma boa TV Loucos..
    Abraços

  9. arlindo disse:

    muito boa pescaria.
    só quero saber como chegar lá.

  10. Kleber Sanches disse:

    Arlindo, se vc colocar no google maps ou no gps “rua conchas” vc chega lá.

    Para chegar ao Pesqueiro é o seguinte: vindo de São Paulo pela Rod. dos Bandeirantes entrar no km 133 sentido Piracicaba ou pela Anhanguera entrar à direita no km 120, que fica logo após o pedágio de Americana. Você estará na Rod. Luiz de Queiroz e deverá seguir nela até o final, pois ela termina dentro da cidade de Piracicaba já.

    Em Pira você deve seguir as placas para a Rua do Porto. Quando chegar nela, vá margeando o Rio Piracicaba que estará a sua direita. Depois siga sempre placa Anhumas. Você vai avistar o supermercado Carrefour e deve seguir pela rua do lado esquerdo do mercado. Depois é só ir seguindo placa Anhumas e subir à direita na placa BAIRRO NOVA SUIÇA. Vá subindo reto até o final dessa rua e quando chegar em uma rotatória com um posto BR, entre a direita depois do posto que você já estará na rua do pesqueiro. Vá descendo por cerca de 1km e logo avistará a placa do Recanto dos Peixes à sua esquerda.

  11. Leandro Marcio Batista disse:

    Gostei muito do local só de ver o site, pego férias agora em outubro e vou levar meu sogro pra pegar uns ”peixinhos” ai.
    Vocês fornecem iscas tbm?

  12. Adriano disse:

    Olá pessoal, parabéns pela pescaria e ótima reportagem. Gostaria de saber se podem enviar fotos das montagem das iscas, anzois, miçangas, flutuantes, etc. Gosto muito de pescar no Recanto dos Peixes, é um otimo lugar e bastante familiar, além do belo lago e variedade de peixes.
    Abraço a todos. Valeu.

Deixe um comentario