Pesqueiro Pantanosso – 28/10/10

Depois de um bom tempo, a Equipe Loucos por Pesca volta ao Pantanosso para realizar uma pescaria surpreendente. Uma cabeçuda muito rara, nem mesmo conhecida pelos funcionários do pesqueiro, é fisgado pelo cabeçudeiro Márcio Giannico. Pincacharas, Tambacus, Pacus e outros peixes também apareceram!

 

 

Olá amigos do Loucos!

Pescador não pode ver uma melhora no tempo que já pensa logo em arrumar as tralhas e cair na estrada não é mesmo?  Conosco não é diferente! Apesar de esfriar bastante durante a noite, dias bem quentes e ensolarados nos animaram para mais uma pescaria. O destino dessa vez foi o belo Pesqueiro Pantanosso, localizado em Mairinque-SP.

Logo que o local abriu, os amigos da Equipe Loucos por Pesca entraram e foram se alojando nos bons pontos que o pesqueiro oferece. O Márcio Giannico e o Diego Oliveira ficaram no barranco, como sempre para buscar as grandes Carpas Cabeçudas e os irmãos Edgard e Fernando escolheram as plataformas, famosas por oferecerem boas pescarias de redondos. Eu (Kleber Sanches) cheguei por volta das 9 horas e me juntei aos irmãos nas plataformas 2 e 3.

Antes mesmo de tirar minhas tralhas do carro, fui conversar com o Márcio e acabei assistindo uma bela briga com o que seria a primeira cabeçuda do dia. Não avistei uma de suas bóias e já avisei o pescador, que desceu rapidamente o barranco para travar sua primeira grande batalha. O peixe brigou bem e felizmente não conseguiu ir pro enrosco.

A grande cabeçuda pesou cerca de 18kg e foi fisgada na massa Farofa do Carlão de Banana e Mel com essência de baunilha.

Não resisti e também fui pra foto com o belo exemplar.

Fui buscar meus equipamentos no carro e quando voltei já me deparei com o Fernando terminando de tirar o primeiro Tambacu do dia. A pescaria começava bem e parecia que teríamos muitas ações na bóia cevadeira.

Nós resolvemos nos dividirmos dentro das preferências de cada um. Eu e Fernando ficamos só pescando de cevadeira, o Edgard com uma vara armada com salsicha flutuante perto das plataformas e os carpeiros com os tradicionais três conjuntos. Na única vara “extra” que o Márcio armou, lá vem Pincachara na salsicha de fundo.

Apenas vinte minutos depois, outra bóia afunda e o fanático pescador de carpas corre para travar. A briga é demorada e quando o peixe dá uma leve aparição vem uma surpresa. Márcio começa a gritar que era algum peixe muito diferente, que jamais tinha visto algo assim, mas estava difícil de reconhecer a espécie. O Fernando foi lá acompanhar e quando a bichona saiu da água que surpresa! Uma cabeçuda com cores totalmente diferentes de tudo que já vimos.

Que bela rainha!!! A raridade foi carinhosamente apelidada de Carpa Tigre pelos Loucos. Fisgada também na Carlão Banana e Mel com essência de baunilha.

Ela conseguia juntar traços do Tambaqui (rosto), Pirarara (rabo e nadadeiras) e da própria Carpa Cabeçuda evidentemente.

Nem mesmo os funcionários do pesqueiro sabiam da existência desse peixe no Pantanosso. Parabéns Marcinho!!!

Eles fizeram a soltura e em menos de 10 minutos já tinha outra bóia descendo. O Márcio deu o equipamento na mão do Fernando, que aproveitou a bela sequência de Carpas trazendo mais uma pro Loucos!

A massa de banana e mel foi o sucesso do dia mesmo. Dessa vez misturada com pó de sorvete de milho.

Já tinham me falado sobre os enroscos do Pantanosso, mas eu achei que o problema era mais lá no fundo onde temos que jogar para fisgar os Tambas. Então, após tirar o bichão das galhadas, fiquei tranquilo, mas infelizmente minha cevadeira ficou travada quase no meio do lago. Não desanimei e na sequência fisguei um Pacu.

Um leitor conseguiu tirar seu primeiro redondo do dia e fomos registrar.

Novamente a vara de fundo do Márcio enverga e a salsicha rende outra Pincachara para ele.

Quando o sol estava bem forte, os Tambas resolveram aparecer mais. Na cevadeira com caroço de azeitona, anzol chinú e altura de 15 cm, o Fernando fisga um brigador Tambacu.

Em questão de minutos foi a minha vez. A montagem foi exatamente igual do Fernando, porém eu optei por um coquinho.  Os tambas não estavam comendo na flor d´água e por isso quem escolheu os evas não tinha resultados.

Era preciso jogar a cevadeira e esperar que o peixe puxasse, pois não havia nem sinal deles na superfície comendo. Mas os bichos estavam mordendo com tudo e as vezes chegavam a afundar até a bóia cevadeira como foi no caso do meu próximo Tambacu.

Já estávamos na hora do almoço e as fisgadas não paravam, o que nos animava muito para o restante do dia. O Fernando aproveitou e também garantiu mais um no coquinho.

Como em time que está ganhando não se mexe, repeti o processo. Arremesso perfeito como manda o figurino, beirando as galhadas e em segundos a bóinha já afunda. Fisgada firme, venho rebocando o bicho pra não correr risco dele ir pro enrosco e ai dá pra trabalhar tranquilamente o peixe depois.

Após o almoço, quando achamos que a pescaria engrenaria de vez, aconteceu uma paradeira total. Os peixes pararam de subir completamente. O máximo que acontecia era você cevar e depois que o vento levava a ceva para outro lugar é que alguns tambas comiam a ração.

Em uma das raras oportunidades consegui aproveitar e trazer o que seria o último tamba da nossa pescaria.

O vento atrapalhou durante todo o dia. Com certeza foi um dos principais responsáveis pelos tambas não terem subido muito. Mesmo no finalzinho do dia, quando o clima ficou mais agradável e propício para a pesca com cevadeira, não tivemos muitas ações. Eu e Fernando perdemos mais um redondo cada um, já na beirada da plataforma.

O Diego fisgou cerca de 10 Corimbás no equipamento armado para as cabeçudas.

Esses peixes dão uma briga legal para quem gosta de pescar com varas de mão, mas no caso de equipamentos pesados como os utilizados para Carpas, perde totalmente a esportividade.

O Edgard fez um esquema bem interessante para pescar com salsicha flutuante beirando as plataformas. Chegou a fisgar 4 Pintados, porém todos conseguiram escapar ou estourar sua linha nas estruturas que ficam ali perto. Era um risco muito grande que ele decidiu correr, mas pelo menos teve boas brigas.

Segue abaixo imagens desse bonito e agradável reduto de gigantes.

E assim terminou nossa pescaria nesse belíssimo Pesqueiro Pantanosso. A estrutura é muito boa, o atendimento na beira do lago foi espetacular, sempre nos oferecendo bebidas e comidas.

Gostaríamos de agradecer o Luiz Carlos pela boa recepção de sempre com nossa equipe e ao Willian, que foi o funcionário que nos deu toda a atenção e prestou um excelente serviço. Em breve voltaremos atrás de muitas fisgadas e ações na ponta da linha.

Abraços a todos e VAMOS PESCAR!!!

Imagens: Equipe Loucos por Pesca

Texto: Kleber Sanches

E-mail: kleber@loucosporpesca.com.br

 

PESQUEIRO PANTANOSSO
Estrada da Servidão Pesqueiro Pantanosso, 5.300
Bairro Olhos D’Água, Mairinque-SP.
Fones: (11) 4246-2176 ou (11) 4708-9856
www.pantanosso.com.br

Você pode deixar um comentário, ou fazer um trackback para o seu site.

15 Comentarios to “Pesqueiro Pantanosso – 28/10/10”

  1. Marcinho disse:

    realmente pescar é algo fascinante,onde nao se encaixa atos de alguns que deixam nosso esporte manchado por puro egoismo e sentimento de querer saber mais ou ter mais espaço que outros, nao se encaixa mesquinhes que no andamento natural da coisas transforma se em medo de encarar o proprio chao q pisa ou no nosso esporte medo de dividir o mesmo espaço na agua, ter medo de perder algo que nao tem e parece que quando chega ao topo os outros sao os outros e só,e quando incomodados
    torna se as pessoas que sao,nosso esporte cabe sim o grande numero de amizades que ao longo do tempo conquistamos, em cada lugar que vamos sempre temos a satisfaçao de dar ou receber um abraço de um leitor que se torna uma amigo, de passar informaçoes que ao longo conseguimos com muito esforço, e como é bom receber mensagens e emails do Brasil inteiro agradecendo a nossa contribuiçao a pesca esportiva, cabe sim pescar com esses loucos , sinonimos de companheirismo
    e uma amizade que cada dia se torna maior,”familia que pesca unida permanece unida”
    aqui vai um recado, o espaço pra este tipo de gente está acabando!!!!!!!!!!!!!!!
    grande abrasss

    Marcinho loucos por pesca

  2. Marcelo Loureiro disse:

    Parbéns pela carpa !!
    E parabens pela pescaria em geral ….. não adianta perder tempo pescando em qualquer buraco ,o negocio e ir onte tem peixe bruto e peixe bruto é no Pantanosso!

  3. neto loucos disse:

    Boa galera!Só as brutas heim…Essa carpa é bem diferente né?lindona.
    Parabéns pela matéria.showww.

  4. wladpesca disse:

    show de bola marcinho , essa mestiça

  5. Edinho disse:

    Que carpa foi essa hein?!

    Uma Piratambeçuda eu diria…hehe

    Tão de parabéns!

  6. Fernando disse:

    BELA PESCARIA PESSOAL DO LOUCOS E QUE CARPA DIFERENTE, BRIGA QUE NEM UM TAMBA, COME QUE NEM UMA CARPA E NADA COMO UMA PIRARARA….RSRSRS.

    ABRAÇO

  7. Marcinho disse:

    Valeu Marcelo, vc como ninguem sab das maravilhas do panta né, nao por acaso pegou a tao cobiçada albina hehehe um peixe maravilhoso
    abrassss
    valeu Neto, hehehe muito louca né!!!!!!!!!!!!!!
    abrassssss
    valeu Wlad, verdadeiramente um grande conhecedor da pesca de cabeçudas,pega muito este rapaz, e tambem conhece o panta como poucos
    abrassss
    Edinho e Fernando suas definiçoes sao demais, um com o nome outro com as caracteriaticas kkkkkkkk
    valeu abrasss

  8. Heitor Osasco disse:

    Pescaria mto boa pessoal. Carpa mais do que louca só poderia vir parar no Loucos por pesca rsrsrs Fenomenal. Essa ai eu nunca tinha visto em mais de 20 anos pescando. parabens pela raridade.

  9. Pedro SPFC disse:

    Fui poucas vezes ao Pantanosso e lá é um pouco complicado, mas qdo se pega esses tambas é algo mto recompensador. Realmente um lugar cheio de particularidades e q exige mta técnica do pescador. Pegaram bons tambacus e cada carpa mto show. Gostei mesmo. abracao e espero mais materias por lá.

  10. Folegatti disse:

    Vou me arriscar no pantanosso na proxima semana e depois te falo os resultados por e-mail galera. abracao e agradeco as dicas.

  11. digao disse:

    Parabéns !!

  12. digao disse:

    Lindas Cabeçudas !! Parabéns !!!
    O pantanosso é um ótimo pesqueiro, fui lá duas vezes e tbm fiquei no barranco em busca das cabeçudas. Não tive tanta sorte como vcs, acho que errei no tamanho do chicote, um funcionário me disse que lá elas batem com 2 a 3 mt de profundidade (achei estranho) e uns 15 mt da margem. Como vcs fisgaram essas bonitonas ? Pretendo voltar lá ainda esse mês.

    Obrigado e parabéns pela matéria.
    Abrs

  13. julio disse:

    Marcinho
    Não entendi o seu primeiro comentario.!!!
    sobre a nao aceitar mais alguns tipos de pescadores.Ocorreu algum incidente no Panta esses tempos ou foi no site memo???
    abs

  14. Marcinho disse:

    valeu Heitor, verdade tambem nunca tinha visto com essas cores, ate o pessoal do panta ainda nao havia presenciado, foi uma grata surpresa, valeuuu

    valeu pedro grande abraço

    Folegatti, conta sim pra gente como foi a pesca
    abraçao

    Digao, os arremessos q faço no panta sao mais longos possiveis, pra fugir de alguns enroscos, a profundidade q pesquei foram de 1,5 a 2,0 mts blz
    valeu por curtir
    abrassss

  15. Marcinho disse:

    blz Julio, valeu por curtir o site!!!!!!!!!
    entao em questao do comentario, nosso Brasil é imenso, agua pra todo lado uma riqueza fantastica, nosso Brasil dos anos 90 pra cá tem nos proporcionado a facilidade de pescarmos em Lagos particulares, denominados de pesqueiros , sao milhares deles
    com estruturas fenomenais , com peixes da bacia amazonica, bacia do prata , etc.
    Este tipo de pesca foi crescendo a cada ano . com opçoes fantasticas de tenicas e um grande mercado cresceu a cada dia, e uma cultura nova vem surgindo no Brasil q é a pesca esportiva, nesta carona surgiu varios segmentos na tv e agora na net, com sites blogs , forun , etc.Logicamente nem td fica, alguns aparecem e somem e nao criam uma identidade,outros cresceram e c tornaram “top”isso é um andamento natural das coisas, nao é andamento natural das coisas, quando vc está no topo ou pensa q está
    e quando surgi uma “concorrencia”, eu acho ridicula essa palavra no meio da pesca, mais alguns ainda acredita nisto, e começa a incomodar, sente se ameçado, ameaçado d q ????????????de nao conseguir arremessar sua boia , pois ao lado tem a boia de um outro pescador q veste outra camisa, isso realmente foge da minha cultura q dividia um pote d minhoca ou um pote de bixinho de laranja com um estranho na beira da represa, peralá q esporte é esse,que uniao de pescadores é essa, como disse acima o Brasil e grande tem espaço pra todo mundo, cada um veste a camisa q quiser,o intuito é do lazer, da amizade de passar informaçoes reais, de continuar a cultura do pesque e solte , d levar isso ao publico joven q este q vai realmente cuidar do q temos, entao Julio este comentario foi só um peqeno desabafo , pois sentimos na pele oq é incomodar aos q tao no “topo” e continuaremos nosso trabalho, sempre a direcionando a vcs, nem sempre agradando a todos, mais sempre passando oq aprendemos ao longo do tempo sem passar por cima de ninguem.

    valeu Julio
    Abraçao

    Marcinho loucos por pesca

Deixe um comentario