Recanto dos Peixes – 04/04/09

Neste final de semana, nossa equipe se dividiu em grupos para mostrar mais opções de pesca para vocês pescadores. Eu (Kleber) e o Thiago Bueno voltamos ao Pesqueiro Recanto dos Peixes que fica na cidade de Monte-Mor/SP. 

Chegamos ao local por volta de 11 horas e já encontramos o lago esportivo com muitos pescadores e sem nenhum quiosque disponível. Sabíamos que era muito provável isso acontecer, mas não desanimamos. Um dos pontos desfavoráveis do local que ficamos é que no barranco não há grama. Devido a isso é que em algumas fotos os peixes estarão sujos de terra e folhagens.

Armamos duas varas cada um, uma de fundo e outra com bóia. Percebemos que apenas as matrinxãs e piraputangas subiam para comer a ceva, os tambas estavam atacando mais no fundo.

Nesse Pesqueiro é raro os “redondos” atacarem no fundo com voracidade. São muito manhosos e você tem que ser esperto na hora da fisgada.  E foi desse jeito que fisguei o primeiro Tambacu do dia.

Kleber – Tambacu 10kg (massa beijinho – fundo)

Menos de meia hora depois a tática funcionou de novo. O Thiago fisgou outro exemplar no fundo com massa beijinho. Enquanto ele brigava com o peixe, eu também peguei um Tambacu. Dessa vez na bóia torpedinho e chicote com cerca de 1 metro.

Como estávamos só nós dois, não foi possível tirar a foto do dublê.  Mas ambos foram registrados.

Kleber – Tambacu 10kg (ração com aroma de banana – bóia torpedinho)

Thiago – Tambacu 8kg (massa beijinho – fundo)

Na seqüência armei uma vara Kenzaki da Sumax com carretilha Brisa 10.000 para pescar com cevadeira e bóinha de tilápia. No olho do anzol de robalo, coloquei um EVA e miçanga caramelo. Conjunto perfeito para a pesca de grandes “redondos”.

Dessa maneira estava batendo muito peixe, mas como pude comprovar eram apenas as matrinxãs. Então após pegar um exemplar, abandonei a tática.

Kleber – Matrinxã (EVA e miçanga – bóia cevadeira)

Tivemos uma pausa de cerca de 1 hora nas ações, mas depois disso pegamos três Tambacus com intervalo de apenas 15 minutos entre cada um.  Um dos responsáveis pela melhora na pescaria foi que começamos a usar o minhocoçu como isca.

Thiago – Tambacu 9kg (minhocoçu – bóia torpedinho)

Kleber – Tambacu 10kg (minhocoçu – bóia torpedinho)

E como levamos apenas 2 minhocoçus, reaproveitei a metade que tinha sobrado da última fisgada e funcionou novamente.

Kleber – Tambacu 11kg (minhocoçu – bóia torpedinho)

Chegamos ao final da tarde com a esperança de que os Tambacus fossem subir mais, porém isso não aconteceu. Mesmo jogando muita ração na água, os ataques eram isolados e bem devagar.

Quando já perdíamos a esperança e começávamos a guardar os materiais, minha vara de fundo envergou bastante e o peixe tomou linha em direção ao outro lado do lago. Fiquei esperançoso de ter pego uma cachara, porém fui surpreendido com outro Tamba.

Após cerca de 20 minutos ele veio pra foto e fechou a pescaria com chave de ouro.

Kleber – Tambacu 17kg (salsicha no fundo)

Ele não era muito comprido, porém era bem largo e gordo. Veja na foto abaixo.

Assim encerramos uma boa pescaria no Recanto dos Peixes. O sol muito forte atrapalhou um pouco a subida dos peixes, mas deu pra pegar bons exemplares de Tambacus, que com certeza, são o ponto forte do lago esportivo do pesqueiro.

Agradecimentos ao Luis pela recepção. E nossos sentimentos com relação ao falecimento do seu irmão.

Imagens: Kleber Sanches e Thiago Bueno

Texto: Kleber Sanches

E-mail: kleber@loucosporpesca.com.br

 

Pesqueiro RECANTO DOS PEIXES
ESTRADA DE MONTE-MOR/SP – KM 19,5
Tel: (19) 3879-1834  ou (19) 9773-0031 (Luis)

Você pode deixar um comentário, ou fazer um trackback para o seu site.

Deixe um comentario