CÓRREGO DAS ANTAS – MONSTROS! TV LOUCOS 47

CORREGOLOUCOS49

Após anos de ausência, o Loucos por Pesca voltou ao Pesqueiro Córrego das Antas. A terra dos gigantes não nos decepcionou e fizemos uma espetacular e surpreendente pescaria. Foram inúmeras Pirararas, grandes Tambacus, muitos Tambaquis e um verdão amazônico monstruoso de 32 kg. Assista a TV LOUCOS 47!

 

 

 

Olá amigos do Loucos por Pesca!

Estávamos combinando uma pescaria para fechar o ano, queríamos fazer uma confraternização entre os integrantes do Loucos por Pesca. Como a maioria dos pescadores estariam no interiorzão, decidimos que o Córrego das Antas seria o nosso destino. Escolhemos os dias 29 e 30 de dezembro.

A pescaria seria de poucos dias, em uma época que costuma encher todos os pesqueiros, mas a intenção era mais curtirmos com os amigos, fazermos um bom churrasco e pegarmos alguns peixes. Só não sabíamos que seria muito melhor do que o esperado!

Após cinco anos ausente do Córrego das Antas, seria finalmente o meu retorno ao paraíso dos grandes peixes! Liguei para o Nathio, grande parceiro do Loucos por Pesca, que retornou à administração do pesqueiro, e combinei todos os detalhes da nossa pescaria.

No dia 28 de dezembro, os pescadores Gabriel Ishiki, Gilmar Dechen e Everton Moreira chegaram no finalzinho da tarde ao pesqueiro. Eles conseguiram um canto do lago, margem oposta ao restaurante, e já começaram a armar o acampamento e as varas.

CORREGOLOUCOS01

As ações de Pirararas logo se iniciariam no Córrego das Antas! A primeira foi fisgada com cabecinha de Tilápia.

CORREGOLOUCOS02

CORREGOLOUCOS03

Logo que escureceu bateu outra danada do rabo vermelho! A isca foi novamente a cabecinha de Tilápia.

CORREGOLOUCOS04

CORREGOLOUCOS05

Depois foi a vez de um Dourado aparecer de intruso na vara armada de fundo para as Pirararas. A isca utilizada era a guelra de Tilápia.

CORREGOLOUCOS06

Um belo exemplar!

CORREGOLOUCOS07

Mas a noite seria das Pirararas! As ações foram acontecendo com uma freqüência muito boa. Inicio de pescaria excelente no Córrego das Antas. A Tilápinha viva começava a fazer a diferença!

CORREGOLOUCOS08

CORREGOLOUCOS09

Pirarara das antigas do Córrego!

CORREGOLOUCOS10

CORREGOLOUCOS11

Hora de soltar a bruta!

CORREGOLOUCOS12

No meio da madrugada, uma surpresa maravilhosa! Duas carretilhas cantam bonito e um dublê aguardava o Gabriel Ishiki.

CORREGOLOUCOS13

CORREGOLOUCOS14

O Córrego das Antas realmente mostrava seu cartão de visitas!

CORREGOLOUCOS15

De volta para a água, meninas!

CORREGOLOUCOS16

Dormir é para os fracos! É ou não é, Gabriel Ishiki? Bora correr que tem outra vara de Pirarara deitando na beirada do lago. E assim viria mais uma pro Loucos!

CORREGOLOUCOS17

CORREGOLOUCOS18

Meia hora depois e outra Pirarara chama o pescador para a briga! Cabecinha de Tilápia era realmente a isca da pescaria. Peixe bruto no Córrego das Antas!

CORREGOLOUCOS19

CORREGOLOUCOS20

Gigante para o Loucos!

CORREGOLOUCOS21

CORREGOLOUCOS22

CORREGOLOUCOS23

Depois elas deram uma trégua no finalzinho da madrugada. Um belo nascer do sol dá as boas vindas para o Loucos por Pesca! Não tem jeito melhor para começar o dia não é mesmo?

CORREGOLOUCOS24

Pior que tem sim! Uma carretilha berra alto e assim o cenário ficava perfeito!

CORREGOLOUCOS25

Mais uma esfomeada Pirarara que veio dar bom dia!

CORREGOLOUCOS26

CORREGOLOUCOS27

Logo em seguida, a equipe ficou completa! Eu (Kleber Sanches) e o Bruno Muraichi chegamos no pesqueiro e já nos deparamos com o Gabriel Ishiki travando mais uma briga! O japonês tava demais! Dessa vez quem comeu a isca de Pirarara foi um Tambaqui legítimo!

CORREGOLOUCOS28

CORREGOLOUCOS29

CORREGOLOUCOS30

Nós não tínhamos nem armado as varas ainda, quando um verdadeiro massacre de Pirararas nos convidou para a farra! Duas iscas do Gabriel foram devoradas pelas bocudas do rabo vermelho, então o Bruno Muraichi correu para ajudar. Eles falaram que a linha de outra carretilha enroscou em um dos peixes, mas quando eu fui recolher, percebi que era outra Pirarara. Formávamos assim um espetacular triplê de piras no Córrego das Antas.

CORREGOLOUCOS31

CORREGOLOUCOS32

CORREGOLOUCOS33

Triplê de Pirararas não é todo dia que acontece, ou seja, o Córrego das Antas realmente estava muito bom! Cerca de uma hora depois, um dublê de Pirararas! A do Gabriel já era bruta, correu para o enrosco e o pescador teve que entrar no caiaque para desenroscar a danada!

CORREGOLOUCOS34

CORREGOLOUCOS35

Bruta!

CORREGOLOUCOS36

CORREGOLOUCOS37

CORREGOLOUCOS38

A do Gilmar era menor, porém tinha uma coloração muito bonita!

CORREGOLOUCOS39

CORREGOLOUCOS40

Não vou ficar falando a isca toda hora, pois quem mandava e desmandava no Córrego eram as Tilápinhas vivas. O Gabriel levava de caiaque as iscas lá no meio e ai era só esperar. Momentos depois chegava a minha vez de pegar uma das grandes Pirararas do Córrego das Antas!

CORREGOLOUCOS41

CORREGOLOUCOS42

Bitela!

CORREGOLOUCOS43

Fizemos uma pausa para o almoço e os peixes também deram uma parada. Hora de um bom churrasco na beira do lago, momento sempre muito agradável no Córrego das Antas. Entre uma carne e outra, mais uma Pirarara viria para as lentes do Loucos por Pesca nos braços do Bruno Muraichi.

CORREGOLOUCOS44

Os tambas não estavam comendo em nossas iscas apoitadas. As varas estavam todas armadas, porém não tínhamos ações. No final da tarde começamos a fazer ceva, utilizando pão e um pouco de sebo e tivemos nossas primeiras capturas. Após muito brigar, um belo Tambaqui rendeu-se aos braços do Brunão!

CORREGOLOUCOS45

CORREGOLOUCOS46

Bonito verdão!

CORREGOLOUCOS47

CORREGOLOUCOS48

Em seguida, tomei uma pancada forte e o bicho saiu rasgando na superfície do lago. Como já tinha ido muita linha no arremesso, tentei frear um pouco o ímpeto do peixe e o anzol abriu. Com certeza era um dos grandes Tambaquis do Córrego das Antas.

Mas o monstro da pescaria estava por vir ainda. Continuamos tentando e o Gilmar tomou uma pancada seca no torpedo, levando tudo para baixo! O peixe desfilava o rabo para fora da água, mostrava seu gigante lombo, mas não dava para ter a certeza se era um Tambacu ou Tambaqui. Única coisa que sabíamos é que era grande, muito grande! Foram muitas corridas, tensão correndo solta, adrenalina bombando no corpo do pescador, até que finalmente o bicho se rendeu e um monstro entrou no passaguá! Era um Tambaquizão gigantesco!

CORREGOLOUCOS49

CORREGOLOUCOS50

O verdão bateu 35 kg na pesagem, sendo que o passaguá tinha 3 kg, ou seja, 32 kg de pura brutalidade no Córrego das Antas!

CORREGOLOUCOS51

CORREGOLOUCOS52

CORREGOLOUCOS53

O bicho era muito largo!

CORREGOLOUCOS54

CORREGOLOUCOS55

Passada a euforia, voltamos à pescaria e eu garanto minha fisgada! Dessa vez eu não perderia o bicho e quem apareceu foi um Tambacu dos pretões!

CORREGOLOUCOS56

CORREGOLOUCOS57

Zoom na cara do negrão!

CORREGOLOUCOS58

No finalzinho do dia, o Gabriel ainda engatou outro Tambacu, esse de menor porte.

CORREGOLOUCOS59

CORREGOLOUCOS60

Hora de dar aquela revisada nas varas pesadas. Trocar algumas iscas e arremessar novamente. Essa noite seria fraca de ações, mas a primeira e única Pirarara era das grandes do Córrego!

CORREGOLOUCOS61

CORREGOLOUCOS62

Gigante!

CORREGOLOUCOS63

CORREGOLOUCOS64

Durante a madrugada caiu um temporal, uma chuva forte, muitos raios e não tivemos ações. Acordamos com este belo cenário!

CORREGOLOUCOS65

Logo que terminou de amanhecer, veio a primeira puxada! A Penn do Bruno Muraichi cantou alto e uma bela Pirarara apareceu.

CORREGOLOUCOS66

CORREGOLOUCOS67

Fisgada com cabecinha de Tilápia.

CORREGOLOUCOS68

Nas primeiras horas da manhã teríamos uma bela surpresa! Uma das varas de fundo do Gabriel sofre um ataque intruso, mas o invasor era um gigantesco Tambacu, muito bem-vindo. A isca era uma Tilápinha viva e o bichão embocou sem dó!

CORREGOLOUCOS69

CORREGOLOUCOS70

O monstro pegou 28 kg, já descontando o peso do passaguá.

CORREGOLOUCOS71

CORREGOLOUCOS72

CORREGOLOUCOS73

CORREGOLOUCOS74

O bicho era muito largo!

CORREGOLOUCOS75

CORREGOLOUCOS76

O Gilmar tinha levado um sebo de fundo até o meio do lago, já que os amigos pescadores que estavam do nosso lado estavam fisgando vários tambas desse jeito. Inclusive gostaria de mandar um abraço para eles, que nos disseram acompanhar sempre o Loucos por Pesca. Um abraço ao Leonardo Áglio e toda a sua família! A vara do Gilmar embodocou e uma briga forte teve início! O peixe chegou inclusive a enroscar em um dos paus perto da margem e o Gabriel teve que entrar na água para ajudar o parceiro a desenroscar.

CORREGOLOUCOS77

Enquanto o Gilmar brigava, outra Pirarara bateu no equipamento do Bruno Muraichi, era então mais um dublê de Pirararas para o Loucos por Pesca no Córrego das Antas. Elas estavam demais!

CORREGOLOUCOS78

CORREGOLOUCOS79

Enquanto eles terminavam de tirar esses peixes, os amigos começaram a gritar que tinha vara nossa envergada. Era uma vara que o Gilmar tinha arremessado de fundo com minhocoçu e nos renderia mais uma Pirarara!

CORREGOLOUCOS80

CORREGOLOUCOS81

Hora do almoço, sinônimo de churrasco no Córrego das Antas. Os peixes nos deixaram comer tranquilamente dessa vez. Logo em seguida caiu uma chuva bem forte, bem característica da época, mas mesmo debaixo do dilúvio nosso amigo Gabriel Ishiki conseguiu garantir um belo verdão amazônico!

CORREGOLOUCOS82

CORREGOLOUCOS83

Muita chuva e Tambaqui nos braços do pescador!

CORREGOLOUCOS84

CORREGOLOUCOS85

A isca da pescaria para os tambas era o sebo no torpedo, porém ela estava acabando. Como nosso último dia também estava chegando ao fim, resolvemos fazer uma ceva misturando pão com um pouquinho de sebo para ver se renderia. Deu certo! Primeiro perdi um enorme tamba, daqueles mais claros, que escapou na margem, mas depois fisguei um grande Tambacu e esse não escaparia!

CORREGOLOUCOS86

CORREGOLOUCOS87

Pretão bitelo no Córrego!

CORREGOLOUCOS88

CORREGOLOUCOS89

Depois foi a vez do Everton Moreira garantir um bonito Tambaqui!

CORREGOLOUCOS90

CORREGOLOUCOS91

CORREGOLOUCOS92

A ceva de ração não estava sendo boa, pois apenas as Tilápias apareciam para comer, porém tínhamos quase meio saco sobrando. Falei para o Gabriel ir lá com o caiaque e jogar tudo de uma vez porque íamos embora mesmo.

Decidi mudar a montagem. Ao invés dos chicotes mais curtos, coloquei um chicotão de uns 2 metros no torpedo, usando ração na pinga como isca, na esperança de achar um tamba por baixo da ceva. Bingo! Meu torpedo afundou, a minha resposta foi imediata, com uma fisgada seca, e o bicho saiu tomando linha.

CORREGOLOUCOS93

A briga foi muito diferente, o peixe não saiu arrebentando igual Tambaqui no começo, parecia mais um Tambacu dos grandes! Briga vai, briga vem, o peixe não encostava.

CORREGOLOUCOS94

Chegamos a pensar que poderia ser uma Pirarara, mas eu torcia para ser um tamba, pois poderia ser bem grande! Como o bicho não encostava e estava perigoso enroscar nas outras varas, o Gabriel teve a idéia de entrarmos no barco para tirar lá no meio e foi o que fizemos. Mesmo assim o peixe brigou demais! Finalmente vimos a sua cara e era um Tambaquizão bonito! Após quase uma hora de briga, o verdão se rendeu!

CORREGOLOUCOS95

CORREGOLOUCOS96

CORREGOLOUCOS97

Não tinha jeito melhor para eu encerrar minha pescaria no Córrego das Antas!

CORREGOLOUCOS98

CORREGOLOUCOS99

O bom e velho Tambaqui! Famoso queixo branco!

CORREGOLOUCOS100

CORREGOLOUCOS101

Final de pescaria para mim e para os amigos Gilmar e Everton, porém o Gabriel Ishiki e o Bruno Muraichi decidiram passar mais uma noite no Córrego das Antas. A noite foi fraca de ações, mas as Pirararas resolveram aparecer após esse belo nascer do sol.

CORREGOLOUCOS102

CORREGOLOUCOS103

O Gabriel arrebentou nessa pescaria!

CORREGOLOUCOS104

CORREGOLOUCOS105

E uma bruta Pirarara veio para fechar definitivamente a bela pescaria do Loucos por Pesca!

CORREGOLOUCOS106

CORREGOLOUCOS107

CORREGOLOUCOS108

Assista no player abaixo a TV LOUCOS 47!

O Loucos por Pesca está de volta ao Córrego das Antas!

CORREGOLOUCOS109

Gostaríamos de agradecer nosso grande parceiro Nathio, amigo de longa data, por confiar mais uma vez no nosso trabalho e parabenizá-lo porque o Córrego das Antas está bom demais! Foram muitos peixes, inúmeras Pirararas, diversos Tambaquis, além dos gigantes Tambacus, peixes monstruosos como sempre no Córrego das Antas!

Recomendamos de olhos fechados esse paraíso aos nossos amigos pescadores que quiserem fazer uma pescaria de cansar os braços com os verdadeiros monstros que habitam esse lugar incrível.

Grande abraço a todos e VAMOS PESCAR!!!

Imagens: Equipe Loucos por Pesca

Texto: Kleber Sanches

Pesqueiro Córrego das Antas
Glicério/SP – Bairro: Caximba
Tel: (18) 3647-2035

King Fishing – www.roupasdepesca.com.br

King Brasil – www.kingbrasil.com.br

As Matadeiras – www.facebook.com/asmatadeiras

JRPESCA – www.jrpesca.com.br

Penn-Raiba Carretilhas – www.pennraiba.com.br

Você pode deixar um comentário, ou fazer um trackback para o seu site.

Deixe um comentario