BOA VISTA (A CASA DOS VERDÕES) – 14/04/15

BOAVISTANEW27

A Equipe Loucos por Pesca retornou a esse excelente pesqueiro que descobrimos no ano passado. Fomos na expectativa de realizarmos uma pescaria ainda melhor e realmente conseguimos. Os verdões, legítimos Tambaquis amazônicos, estavam afim de colaborar conosco e deram show nas anteninhas “As Matadeiras”. 

 

 

 

 

Olá amigos do Loucos!

Esperamos passar um certo tempo e no mês de abril decidimos que era hora de retornarmos ao Pesqueiro Boa Vista. Os preparativos foram rigorosamente iguais, apenas focamos nas iscas que tinham nos dado mais resultado em nossa primeira pescaria.

Assim que chegamos, o Gilmar, que mostrou-se um pescador muito esperto e fominha, já que levou as tralhas de Pirarara já montadas no carro, apenas iscou uma Tuvira e arremessou a poucos metros da margem. Ele estava voltando para iscar o segundo equipamento, quando observei o exato momento em que o peixe começou a puxar sua linha e consequentemente fez sua vara beber água. Parecia que a Pirarara estava ali esperando, quietinha com a boca já aberta, tamanha foi a rapidez da primeira captura.

BOAVISTANEW01

O dia prometia!

BOAVISTANEW02

Infelizmente não tivemos a sequência de Pirararas atacando nossas iscas como parecia que teríamos. Era apenas uma esfomeada que estava desesperada pela nossa chegada.

Começamos a cevar atrás dos redondos, onde nosso objetivo era bem claro: os Tambaquis. Evidentemente os Tambacus também eram bem vindos, até porque no Boa Vista há grandes exemplares dos “negrões”, mas como fanático que sou pela pescaria dos “verdões”, e sabendo que o pesqueiro tem muitos Tambaquis, minha meta não poderia ser outra.

Os peixes responderam bem às nossas copadas e logo viriam as primeiras fisgadas. O Diego capturou dois Tambacus de médio porte seguidos.

BOAVISTANEW03

BOAVISTANEW04

Depois foi a vez do Gilmar garantir seu primeiro tamba.

BOAVISTANEW05

Os amigos já começavam a brincar comigo, mas bem tranquilo eu dizia que eu logo pegaria o meu primeiro e já começaria em grande estilo, o que de fato aconteceu.

DE NOVO POR AQUI, TAMBAQUI?

Na hora do almoço, utilizando uma anteninha “As Matadeiras” com evas pretos e miçanga sorocaba, sofro uma forte pancada na superfície. A briga já denunciava o primeiro verdão da pescaria. As corridas desenfreadas e a força extrema são características sempre presentes dessa magnífica espécie nos duelos. O que eu não poderia imaginar é que justamente o mesmo peixe, um lindo Tambaqui, que eu tinha fisgado na minha primeira pescaria no Boa Vista, voltaria para os meus braços.

BOAVISTANEW06

BOAVISTANEW07

No momento eu não tinha essa noção, porém comparando as fotos depois, utilizando as manchas como referência, tive a certeza de que era o mesmo exemplar. Incrível!

BOAVISTANEW08

E A PESCARIA FOI MELHORANDO…

Continuamos cevando e dessa vez os peixes subiram o dia inteiro para comer ração. Não foi a toa que tinha decidido voltar no Pesqueiro Boa Vista, pois a cena dos grandes peixes detonando a ração no finalzinho do primeiro dia não tinha saido mais da minha mente.

Boia arremessada, sugada na anteninha e uma briga diferente tinha inicio. Dessa vez eu não conseguia cravar o que estava na outra ponta da linha e, para nossa surpresa, encosta na margem uma linda Pincachara, espécie que não é tão fácil de se fisgar nessa modalidade de pescaria, porém as vezes temos esse prazer.

BOAVISTANEW09

BOAVISTANEW10

Lindo exemplar!

BOAVISTANEW11

Fisgamos mais alguns Tambacus em seguida, destaque para um bonito redondo do Ricardo e um belo Pacu capturado pelo Gilmar, peixe que estava bem gordo e de porte avantajado para a sua espécie.

BOAVISTANEW12

BOAVISTANEW13

BOAVISTANEW14

BOAVISTANEW15

Eu já começava a ficar incomodado. Estávamos no meio da tarde e até então apenas um Tambaqui tinha sido retirado para nosso registro. Chamei o Gilmar para irmos cevar no fundão do lago, o mesmo local onde tinha visto muitos Tambaquis tomando sol da outra vez. Chegamos lá, joguei um pouco de ração com uma pázinha, mas poucos rebojos apareceram. Ainda ressabiado decidi cevar com a cevadeira mesmo. Foram uma, duas, três copadas e alguns peixes apareceram para comer, o que nos animou e logo eu teria a sorte sorrindo novamente para mim.

A puxada não foi das mais violentas, mas eu tinha esperança de estar com outro verdão na ponta da linha. Já no final da briga, tive impressão de ter visto uma mancha negra, mas para nossa surpresa, quando o bicho pranchou definitivamente, pude ver que era sim um bonito Tambaqui, peixe que estava com a coloração um pouco mais escura.

BOAVISTANEW16

BOAVISTANEW17

Era o meu segundo, mas até parece que eu estava satisfeito. Eu queria mais!

VARAS ENVERGADAS!

No final da tarde tivemos uma linda cena, algo cobiçado por todos os grupos de pescadores. Continuando nossa pescaria com as boias cevadeiras, tivemos quatro peixes engatados ao mesmo tempo.

BOAVISTANEW21

BOAVISTANEW23

Fomos retirando um a um, onde dois deles já mereciam destaque, Tambacus na faixa de 18 a 20 kg.

BOAVISTANEW18

BOAVISTANEW19

BOAVISTANEW20

BOAVISTANEW22

BOAVISTANEW24

Em seguida finalmente voltariamos a ter ações de Pirarara. A vara do Ricardo deita na beirada do lago e o alarme canta alto no Boa Vista. Após uma boa briga ele retira sua primeira bigoduda.

BOAVISTANEW25

BOAVISTANEW26

Enquanto ele estava fazendo a soltura da Pirarara, falei para o Gilmar: “vamos arremessar ali, to sentindo que o Tambaqui gigante está comendo ali”.

O TROFÉU DA PESCARIA

Contrariando minha intuição, o amigo resolveu cevar para o lado direito, onde também haviam alguns peixes comendo ração. Fiz meu arremesso rigorosamente onde havia planejado e segundos depois, quando eu estava olhando os amigos soltando a Pirarara, um estouro assustador explodiu no lago. Eu confesso que fui pego desprevenido, tomei um verdadeiro susto e quase joguei a vara para o alto. Tinha inicio ali uma batalha sensacional! O peixe, nitidamente um Tambaqui, e dos grandes, corria fortemente para todos os lados, sempre pesando bastante. Após intermináveis minutos, onde procurei não pensar na possibilidade daquele bicho escapar, finalmente ele se rendeu e entrou no passaguá. Grande alivio e muita vibração com o meu terceiro verdão no dia, um gigante Tambaqui.

BOAVISTANEW27

BOAVISTANEW28

Peixe lindo demais!

BOAVISTANEW29

Incrível largura do famoso queixo branco.

BOAVISTANEW30

ENCERRANDO COM AS PIRAS

No finalzinho do dia, para finalizar nossa pescaria, tivemos mais duas Pirararas atacando nossas iscas. Primeiro foi o Ricardo que trouxe seu segundo peixe de rabo vermelho.

BOAVISTANEW31

Depois foi a minha vez, o que me deixou bastante feliz, pois nesse segundo dia eu não tinha capturado nenhuma Pirarara.

BOAVISTANEW32

BOAVISTANEW33

Havia fisgado uma diversidade muito grande de espécies, sendo apenas a Pirarara com outra isca, na guelra, e o restante todas na pescaria com boia cevadeira e anteninhas. Foram Tambacus, Tambaquis, Matrinchãs e uma linda Pincachara.

Assista no player abaixo o programa gravado pelo Diego Silva em parceria com o Loucos por Pesca.

Gostaria de agradecer a excelente recepção que tivemos novamente no Pesqueiro Boa Vista, tanto dos nossos amigos leitores Diego e Ricardo, quanto dos proprietários Daniel e Renato.

BOAVISTANEW34

Ao amigo pescador fica a dica! O Pesqueiro Boa Vista é a verdadeira casa dos verdões, além de possuir muitas Pirararas e Tambacus no seu lago esportivo, espécies das mais cobiçadas dos pesqueiros.

Abraços a todos e VAMOS PESCAR!!!

Imagens: Kleber Sanches, Gilmar Dechen e Diego Silva

Texto: Kleber Sanches

Pesqueiro Boa Vista

Rodovia Engenheiro Paulo Nilo Romano, km 172 – sentido JAÚ-BROTAS/SP

Fones: (14) 99651-1710 / 99815-0660 / 99799-8807

www.facebook.com/pesqueiro.boavistajau

AGRADECIMENTOS

King Fishing – www.roupasdepesca.com.br

King Brasil – www.kingbrasil.com.br

Penn-Raiba Carretilhas – www.pennraibacarretilhas.blogspot.com.br

As Matadeiras – www.facebook.com/asmatadeiras

Você pode deixar um comentário, ou fazer um trackback para o seu site.

Deixe um comentario