PESQUEIRO ÁGUA BRANCA – 30/12/13

AGUABRANCA06

Conhecemos este pesqueiro localizado dentro da cidade de Araçatuba através de uma pescaria sem grandes pretensões, que serviria apenas para finalizarmos nossas pescarias no final do ano, mas que acabou nos surpreendendo e rendendo uma matéria com belos peixes e um gigantesco Tambacu!

 

 

 

Olá amigos do Loucos!

Esperamos que todos tenham passado bem o natal e a virada do ano. Desejamos principalmente muita paz, saúde, amor e alegria neste novo ano que iniciou e de preferência com muitos peixes na ponta da linha!

Viajei para o interiorzão de São Paulo para passar o réveillon com a família da minha esposa, em Tupã, como tenho feito nos últimos anos, distante cerca de 450 km de Campinas. Dessa vez resolvi aproveitar a viagem para fazer a última pescaria do ano, onde tinha o objetivo de conhecer algum pesqueiro novo.

Aproveitei que o Bruno Muraichi, leitor assíduo do Loucos por Pesca, mora na região, mais especificamente na cidade de Lins, e o convidei para fazermos a pescaria saideira de 2013. Alguns pesqueiros surgiram como opção, mas decidimos que o Água Branca, localizado dentro da cidade de Araçatuba, seria nosso destino.

O Bruno já tinha ido algumas vezes ao local e me adiantou que o lago era bem pequeno, mas acreditamos que os outros pesqueiros mais conhecidos da região, como o Córrego das Antas e o Stella, estariam extremamente lotados e não queríamos ninguém cruzando nossas linhas.

Cheguei as 8 horas da manhã e do estacionamento mesmo já pude ver que o amigo não tinha exagerado. O lago tem dimensões bem reduzidas, mas a notícia de que bons peixes o habitam não deixou o ânimo cair tanto.

Arrumamos nossas tralhas atrás das Pirararas, imaginando que elas não seriam presas fáceis para nós, já que só levamos duas iscas para elas: mussarela e salsicha. O ideal seria ter conseguido pelo menos outras iscas, principalmente guelra, minha preferida para buscar Pirararas.

Estávamos armando as varas para a pescaria de redondos, quando um alarme nos trouxe a esperança! Minha vara estava envergada, a tomada de linha era constante, então corri para garantir que o anzol cravasse bem na boca do bicho. Logo percebi que tinha mesmo uma Pirarara na ponta da linha e trabalhei ela com tranquilidade, abrindo um pouco a fricção, deixando ela dar seu show!



Fisgada no queijo mussarela.


O Bruno jogou um pouco de ração e vimos alguns estouros no lago. Nitidamente era possível distinguir os Tambaquis, presentes em grande quantidade no Água Branca, dos Tambacus.

Armei primeiro um torpedo, já que tinha levado duas iscas de superfície que tanto os Tambaquis quanto os baguás negros adoram: pão e geléia.

Fiz um arremesso próximo da outra margem, bem no final do lago, já que o vento fazia a ração descer naquela direção. No torpedo fiz um chicote com cerca de 1 metro e decidi começar utilizando a geléia como isca.

Apenas meia hora depois de capturar a Pirarara, um estouro espetacular fez os pescadores se olharem assustados. O torpedo afundou de uma só vez e não voltou mais, então corri para fisgar firmemente! Falei para o Bruno que estava bem pesado, mas eu não poderia imaginar o baguá que teria nos braços minutos depois daquela briga. O peixe chegava na margem e dava um rebojo violento, confesso que senti medo que ele escapasse, já que o amigo me confidenciava que jamais tinha visto ou ouvido falar de um Tambacu tão grande naquele lago.
Trabalhei bem na ponta dos dedos e o alívio só veio quando colocamos o bichão na grama. Decidimos pesar e o baguazão cravou pouco mais de 23 kg na balança digital.



Bora colocar o gigante nos braços!




Fiz uma pausa na pescaria, sentei debaixo do quiosque e tomei um refri gelado. Jamais imaginei que tivesse a chance de fisgar um gigante deste porte naquele lago. O Bruno repetia a todo instante que eu era muito sortudo!

Ele armou a cevadeira e deu os primeiros arremessos. Percebi que os peixes não queriam comer quando a ração era jogada pela bóia cevadeira, então decidi que era a situação ideal para usar a bóia de madeira, equipamento muito útil principalmente em lagos pequenos e com peixes manhosos.

Imaginando que pudéssemos ter este problema no Pesqueiro Água Branca, levei algumas bóias de madeira e pude emprestar uma também para o amigo. Cevamos com uma pázinha e aos poucos os tambas subiram manhosamente para comer. O vento estava atrapalhando muito, era difícil concentrar a ração, então deixei o amigo insistindo nos evas e miçangas e coloquei um pedaço de pão no anzol de robalo. Após perder um tamba durante a briga, tive outra chance numa pegada violenta que jogou água para todos os lados! A corrida era lateral e desenfreada, denunciando o primeiro Tambaqui da pescaria. O peixe deu muito trabalho, tive que forçar um pouco para tentar evitar que ele enroscasse na linha dos outros pescadores, mas felizmente ele foi vencido no duelo. Dá-lhe verde!




O pesqueiro foi lotando bastante antes mesmo do horário do almoço e os peixes ficavam cada vez mais manhosos.


O Bruno chegou a perder um Tambaqui de bom porte numa das raras puxadas no eva. Eu decidi experimentar a ração na pinga no “palminho” e tive uma pegada imediata que resultaria em mais um bonito exemplar de Tambaqui!


Alguns pescadores também tiveram boas capturas e o Bruno foi registrar mais um Tambaqui do Água Branca.


Também entraram alguns Tambacus nesse esquema com ração na pinga, mas a maioria bem pequenos, então deixamos para registrar apenas os melhorzinhos e os Tambaquis. Durante a tarde mais um verdinho atacou a ração com essência de banana.



Infelizmente nas pescarias em lagos bem pequenos como o do Pesqueiro Água Branca, a pressão de pesca influencia muito e os peixes raramente foram vistos na superfície durante a tarde.



O Bruno insistiu até que finalmente conseguiu quebrar a maré de azar e garantiu um Tambacu nos braços.



Não parava de chegar gente no pesqueiro e o local não suporta tantas pessoas assim, então resolvemos guardar nossas tralhas antes mesmo do final da tarde e cedemos nosso quiosque para outros pescadores.

A pescaria já tinha sido garantida, onde tive a sorte de fisgar peixes que nem eu mesmo esperava, como a Pirarara e principalmente o gigante Tambacu. Aproveitei para pegar a estrada mais cedo, que em boa parte é composta por pista simples e com tráfego de caminhão.

Recomendamos o Pesqueiro Água Branca para quem mora na região ou está passando férias por lá como foi meu caso, já que bons peixes habitam aquele lago, mas o ideal é tentar fugir de finais de semana ou feriados, pois fica impossível pescar com tranquilidade já que o lago é bem pequeno.

Gostaria de agradecer o amigo Bruno Muraichi pela companhia nesta pescaria, leitor que tive a oportunidade de conhecer pessoalmente e posso dizer que é muito gente boa.

Grande abraço a todos e VAMOS PESCAR!!!

Imagens: Kleber Sanches e Bruno Muraichi

Texto: Kleber Sanches

E-mail: kleber@loucosporpesca.com.br

Pesqueiro Água Branca

Rua Valentin Rodrigues – Jd. Country Ville – Araçatuba/SP

Tel: (18) 3623-7594

AGRADECIMENTOS

Romano Pesca – www.romanopesca.com.br

King Fishing – www.roupasdepesca.com.br

King Brasil – www.kingbrasil.com.br

Penn-Raiba Carretilhas – www.pennraibacarretilhas.blogspot.com.br

As Matadeiras – www.facebook.com/asmatadeiras

Massa Farofa do Carlão

Você pode deixar um comentário, ou fazer um trackback para o seu site.

6 Comentarios to “PESQUEIRO ÁGUA BRANCA – 30/12/13”

  1. Bruno Muraichi disse:

    Boa noite, pescaria muito boa e divertida, mesmo não estando com tanta sorte igual o Kleber. Mas fiz uma grande amizade, espero poder pescar mais vezes com este parceiro! Forte abraço!

  2. Ricardo disse:

    Poxa, pena que o lago é pequeno….mas já valeu pelos exemplares fisgados.
    Abs!!

  3. Felipe Breno disse:

    O lago parece realmente pequeno, mas deu pra perceber que gigantes estão nessas águas hein. Show de bola o grandão fisgado, Tambacu bonito, meio claro né. Abraços

  4. Ricardo Birigui disse:

    Já fui duas vezes neste pesqueiro e nem imaginava que tinha tamba grande assim lá, mas Pirarara dizem ter acima de 30 kg. Já peguei alguns desses tambaquis. Boa matéria parabens.

  5. edivaldo disse:

    Aew galera parabens pela pescaria..

    Me tirem uma duvida alias duas. Como funciona essa pescaria com geleia que voces comentaram? E onde se adiquire essa boia de madeira q vcs comentaram?
    Se tiverem imagem me enviem por email.. vlw e parabens

  6. RENATO WISBECK disse:

    Olá turma da pescaria, adorei a matéria, sou + l louco por pesca.
    Um abraço tchê.

Deixe um comentario