POINT DA PESCA – SURREAL! TV LOUCOS 32

POINTDAPESCA109

O Loucos por Pesca descobriu um hotel fazenda mais do que espetacular no Estado de Goiás. O Point da Pesca Corumbá é morada de uma quantidade surreal de gigantescos Pirarucus que fizeram a alegria da nossa equipe durante nossos três dias de pesca. Foram 14 Pirarucus gigantes e mais de 30 Pirararas fisgadas!

 

 

 

Olá amigos do Loucos!

Estava navegando pela internet quando vi uma foto de um garoto com um Pirarucu enorme e consegui descobrir onde ele tinha conseguido a fantástica captura. Comecei a aprofundar minha pesquisa e achei muitas outras fotos e vídeos de belíssimos exemplares fisgados naquelas águas. A grande questão era descobrir se aqueles gigantes ainda estavam presentes no local, pois a maioria dos pesqueiros sofre com a fragilidade desta espécie, já que por alguns motivos os peixes acabam morrendo rapidamente.

Passada a euforia, compartilhada pelos amigos pescadores da nossa equipe, entrei em contato com um dos responsáveis pelo Hotel Fazenda Point da Pesca Corumbá e a resposta foi melhor do que eu poderia imaginar. Tive a confirmação de que todos aqueles gigantes vistos nas fotos estavam bem vivos e à nossa espera nos lagos da propriedade.

Rapidamente agendamos nossa viagem e começamos os preparativos para a promissora aventura. Nossa equipe estaria representada por mim (Kleber Sanches), pelo Fernando Paiva e de última hora o Edgard também confirmou presença.

Chegado o tão esperado dia, pegamos a estrada rumo ao Estado de Goiás, percorrendo boas rodovias durante toda a viagem, com exceção de um pequeno trecho em Minas Gerais que continha alguns buracos no asfalto, porém nada que atrapalhasse nossos planos.

Vamos mostrar agora um pouco da estrutura deste PARAÍSO SURREAL!


O hotel fazenda fica localizado às margens do Lago Corumbá, distante apenas cerca de 60 km de Brasília, no km 09 da BR 060. Apenas 1 km de estrada de terra separa a rodovia do Point da Pesca.

Eles possuem diversão para toda a família, contando com uma boa área de lazer com piscinas semi-aquecidas, tobo-água, sala de jogos, brinquedoteca, playground, passeio à cavalo, pedalinho, arvorismo e tirolesa.






Muita área verde e lugares para descansar.





Amplo restaurante onde é servido o café da manhã e as refeições.



O Hotel Fazenda Point da Pesca Corumbá possui 45 apartamentos muito confortáveis e bem equipados. Há opções para todos os gostos, desde quartos com ventilador até ar condicionado.


Os preços são bem acessíveis e a diária já inclui café da manhã, almoço e jantar.



O diferencial do lugar, uma das hospedagens mais disputadas, é um chalé de madeira na beira de um dos lagos. Sensacional!



Ficamos neste chalé no primeiro dia. Imagine a praticidade e privilégio de acordar e já estar na beira do lago.


Para quem não quiser ficar hospedado, há opção de pagar uma pequena taxa pelo day use. Eles também possuem uma área de camping distante cerca de 700 metros dos lagos para quem preferir gastar menos e curtir a natureza.

São três lagos para a pesca esportiva, onde os habitantes são gigantescos peixes de até 70 kg.


Lago do chalé



Este lago possui um ponto de apoio e os funcionários passam a todo instante para oferecer porções e bebidas.


O outro lago tem maiores dimensões e também possui quiosques com iluminação e mesas para maior comodidade.




Muita tranquilidade à espera dos gigantes!


Algumas espécies presentes nos lagos: Pirarucu, Pirarara, Cachapira, Pintado, Cachara, Pincachara, Jundiá, Tambaqui, Tambacu, Pacu, Dourado, Matrinchã, Tilápia, entre outras.

Até um Jaú habita aquelas águas e já foi registrado algumas vezes. Os funcionários disseram que hoje ele está com 25 kg. Veja na foto abaixo duas de suas aparições.


Vamos à pescaria!

No primeiro dia pescamos no lago menor já que ficaríamos hospedados no chalé de madeira. Encostamos o carro perto e descarregamos apenas as tralhas de pesca para já iniciarmos à busca pelos gigantes do point.

Começamos a montagem dos equipamentos pelas varas pesadas de fundo, as quais teriam o objetivo de buscar as Pirararas e Pirarucus.

Disponibilizamos aos peixes as seguintes iscas: cabeça de Tilápia, guelra e mussarela.

Rapidamente vejo o Fernando pegar um conjunto leve e começar a andar em volta do lago procurando pelos Pirarucus, que a essa altura já tinham sido observados por nós subindo à superfície para respirarem.

Munido de uma salsicha flutuante, ele faz um “arremesso” quase no seu pé, no máximo 1 metro de distância da margem. Percebo de longe sua apreensão e logo ele estava dando uma vigorosa fisgada e soltando o grito: “Pirarucu Klebão”. Tem inicio uma briga das mais violentas que já presenciei, muitas tomadas de linha e vara completamente envergada!


Como ele estava com carretilha de perfil baixo e linha monofilamento 0,35mm todo cuidado era pouco e o peixe deu muito trabalho, dando muitas cabeçadas e um lindo salto fora da água.


Até que finalmente um gigantesco Pirarucu entrou no passaguá e fez a primeira alegria da nossa equipe.


Ali estava o gigante Pirarucu, o maior peixe de escamas de água doce do mundo!



Logo na primeira captura pudemos confirmar o motivo dos Pirarucus estarem vivos há muito tempo nos lagos do Point da Pesca. Os funcionários são muito prestativos e bem treinados. Eles ficam o tempo inteiro à disposição em volta do lago e quando alguém fisga um peixe vão ajudar a retirá-lo da água e principalmente fazem a retirada do anzol. Isso é muito importante porque os pescadores não estão acostumados a manusearem os Pirarucus, que são peixes muito sensíveis e costumam engolir muito o anzol, dificultando sua retirada.

Percebendo que a briga tinha sido muito desgastante e arriscada, o Fernando resolve trocar o equipamento e com uma vara Convergence e carretilha de perfil redondo com linha 0,50 mm fisga outro Pirarucu menos de 5 minutos depois. Dessa vez quem trava o duelo é o Edgard e outro gigante viria para os braços do Loucos!


Uma regra utilizada no Point da Pesca é que os pescadores não devem levantar os Pirarucus do chão para tirar fotos. Tudo é feito pensando na saúde dos animais e basta você colocar a mão embaixo do peixe para perceber que esta é uma regra excelente, pois os bichos ficam realmente agitados, se debatem muito e o risco de morte do peixe numa queda é grande. Não é a toa que os bichões estão lá há mais de 6 anos e raríssimas vezes eles tiveram morte de Pirarucus.

O dia estava agitado! Todos estávamos lançando salsicha flutuante na cara dos bichos, mas muitas vezes eles ignoravam a isca e subiam apenas para respirarem. O Fernando consegue outro bote na superfície e com a carretilha aberta deixa o peixe acomodar bem o anzol na boca, tomando metros de linha, para então travar o bicho numa fisgada seca!


Era o terceiro Pirarucu e um bicho de respeito!




Aos poucos os Pirarucus foram ficando mais espertos e estava difícil ter alguma ação na superfície. Cevamos atrás dos redondos porém muito raramente alguns peixes subiam. Repentinamente o tempo virou e uma chuva forte, acompanhada de muito vento, permaneceu por longos minutos.

Quando eu já estava um pouco impaciente, no meio do temporal percebo algumas cutucadas na minha vara de fundo armada com guelra. O peixe carregava um pouco a isca e soltava. Resolvi segurar o equipamento em punho e numa das leves tomadas de linha desci uma forte fisgada! O bicho estava na ponta da linha e a expectativa passava a ser pela descoberta de qual espécie estava ali no duelo. Percebo que a briga começa a se desenvolver mais na superfície e já desconfio da presença do Pirarucu, até que mais um monstro aparece para respirar no meio do duelo. Vem pro Loucos bichão!



O clima foi melhorando vagarosamente, o céu limpando e um cenário de rara beleza foi desenhado à nossa frente.


No final da tarde tivemos apenas ações de peixes menores, Tambacus e Pacus fisgados com ração na pinga. Com a chegada da noite resolvemos pescar algumas Tilápinhas e na cabecinha de fundo conseguimos capturar dois exemplares, um de porte razoável e outro já de tamanho considerável.



No Point da Pesca só é permitido pescar até as 22 horas, horário em que os funcionários ficam auxiliando em volta dos lagos. Estávamos cansados e fomos dormir para recuperarmos as energias para o dia seguinte.

Na parte da manhã tivemos poucas ações e após nos alojarmos em nosso apartamento, já que o chalé de madeira só estava disponível para o primeiro dia, decidimos ir conhecer o outro lago.

Foi a decisão mais acertada e com poucos minutos de varas na água, a primeira puxada de linha traria um Pirarucu ao Edgard na guelra no fundo.



Ao mesmo tempo o Fernando tirou um legítimo baguá, Tambacu de respeito fisgado com ração na pinga à cerca de 30 cm de profundidade.



Enquanto o Edgard fazia a soltura do Pirarucu, minha vara também enverga forte, o alarme da carretilha denuncia uma puxada bruta e assim também consigo rapidamente meu exemplar do gigante de escamas!



Inicio arrasador e que atendia as expectativas que nós tínhamos criado sobre o Point da Pesca Corumbá. O negócio é que as ações não parariam por ai, muito pelo contrário, logo fomos sofrendo um massacre dos peixes!

O Fernando tinha um equipamento sobrando e me perguntou qual isca deveria utilizar. Como não estávamos testando a mussarela, indiquei ao amigo que experimentasse esta isca e minutos depois a primeira Pirarara foi atraída justamente por um pedaço de mussarela e veio pro registro no Loucos por Pesca.


Aos poucos os redondos também marcam presença e os intervalos entre as ações eram praticamente inexistentes!



As Pirararas ficaram enlouquecidas e atacavam sempre o mesmo equipamento armado com a mesma isca matadora, a mussarela.


Os amigos tiveram disposição para buscarem os tambas e conseguiram ótimas capturas enquanto eu tentava fisgar os Pirarucus na superfície.





O famoso molinetão dos irmãos envergava a todo instante e as Pirararas vinham enfurecidas, travando brigas de gente grande! Nunca vi peixes brigarem tanto igual essas danadas de rabo vermelho do Point.




Usando minha teoria de que “PESCARIA É POP” (paciência – observação – persistência), resolvo armar uma vara com mussarela próximo do ponto em que eles tinham as ações e não deu outra! Rapidamente vem a primeira puxada e depois a todo momento eu ouvia o alarme da Corvalus me chamando para a briga!





Grande sequência! Os intervalos entre as ações eram no máximo de vinte minutos no final da tarde.



As vezes parecia mentira. Acabava de lançar a isca, vinha retornando ao nosso ponto e já ouvia o alarme da carretilha berrando!



Fomos avisados de que nossa pescaria neste lago teria que se encerrar até as 19 horas, pois só ficariam dois funcionários no hotel fazenda e eles teriam que auxiliar no lago do chalé que estava mais lotado. O jeito então foi aproveitar e fisgamos nossas últimas Pirararas famintas!



Já no comecinho da noite consigo mais duas capturas, uma na mussarela e a última na guelra para então encerrarmos o magnífico dia de pesca.



Abaixo a última Pirarara neste dia.


Guardamos nossas tralhas no apartamento e fomos acompanhar o movimento no lago do chalé. Aproveitamos para descansarmos, demos boas risadas e principalmente comemoramos aquele dia fenomenal. Sabíamos que o nosso terceiro e último dia de pesca era muito promissor e fomos para o quarto recompormos as baterias.

Aproveitei para analisar alguns fatores, observando através das fotos no site do Point da Pesca quais os locais tinham tido maior número de capturas dos Pirarucus naquele lago.

Logo na manhã seguinte comentei minha conclusão com o Fernando que decidiu apostar comigo uma vara no ponto definido pela pesquisa. Aconselho aos amigos sempre fazerem este tipo de estudo quando forem conhecer um pesqueiro novo.

Antes mesmo que eu e o Fernando arremessássemos nossas primeiras varas na água, o Edgard lançou o molinete matador no mesmo ponto do dia anterior, usando mussarela de isca. Menos de três minutos se passou e o equipamento estava todo envergado no suporte e tomando linha. Acreditem, um Pirarucu de grande porte resolveu não dar espaço para as Pirararas e logo atacou a mussarela no Point da Pesca.



Temos que confessar que todos nós tínhamos nossos objetivos maiores virados para os Pirarucus, pois são o foco principal daquele PARAÍSO SURREAL. Estávamos impressionados com a quantidade e principalmente com o tamanho daqueles “Piroscas” do Point da Pesca.

Minha vara lançada estrategicamente no ponto descoberto pela pesquisa sofre o primeiro ataque, fisgo e vejo a linha subindo, dá-lhe Pirarucu!


O bicho era grande, chegou a entrar com a cabeça no passaguá, porém conseguiu sair e minutos depois acabou escapando. A frustração tomou conta de mim, mas quando eu estava voltando para colocar uma nova guelra, minha outra vara dobra na minha frente e trago uma Pirarara.



Menos de meia hora depois e outro alarme canta alto. Seria o cobiçado Pirarucu? Era mais uma briguenta Pirarara que como todas as outras tomou linha mesmo com a carretilha de perfil alto bem travada!



Chegamos a conclusão que até hoje essas Pirararas do Point da Pesca foram as mais brigadoras que já tivemos o prazer de fisgarmos, fazendo uma proporção de tamanho x força.

Tivemos uma rara pausa nas ações e resolvi aproveitar o momento para tirar algumas fotos. O hotel fazenda é muito belo e cercado por muita vida!

Na hora do almoço tivemos uma mudança brusca na pescaria neste dia. Os peixes começaram a ficar totalmente insanos e o difícil era conseguir manter as varas na água. Eles atacavam na guelra, mussarela e agora também na salsicha de fundo, isca que resolvi experimentar e tive sucesso!




Os intervalos entre as ações não passavam de 10 minutos.



Devido à correria, chegamos até a não conseguir registrar duas Pirararas fisgadas pelo Edgard. Quando era possível o jeito foi tirar foto de longe mesmo para garantir o registro.


O Fernando resolveu inovar e armou um equipamento com bóinha de lambari e Tilápinha pequena como isca. Arremessou no meio do lago e tomou dois botes de grandes Matrinchãs. O nosso amigo Ueuler, que nos auxiliou muito bem durante nossa pescaria e merece nossos agradecimentos, foi para a foto com um dos exemplares.


Claro que o objetivo do Fernando era fisgar um Pirarucu, então ele mudou a estratégia. Vimos um Pirarucu gigante dar o bote numa Tilápinha que eu tinha deixado na bóia, mas infelizmente eu me precipitei na fisgada. O Fernando resolveu então perseguir os bichões e ele arremessava a bóinha na cara dos cardumes que desfilavam na superfície. Em uma das tentativas, o bicho enfurecido engoliu de uma vez a isca e o pescador travou!


Tinha inicio uma briga interminável e que exigiu cuidados de todos para que pudesse terminar com final feliz e registrada no Loucos por Pesca. A linha era fina e o pescador foi testado até o limite das suas forças!


Foram aproximadamente 50 minutos de briga intensa.



Até que finalmente o peixe entrou no passaguá e o pescador comemorou aliviado!




Minha vara matadora do dia anterior, armada com mussarela, equipamento médio que já tinha me dado muito trabalho para tirar as Pirararas, sofre um ataque de um grande Pirarucu e assim tinha inicio mais uma daquelas batalhas intermináveis que vivemos no Point da Pesca!


Ouço o alarme da minha outra carretilha, mas naquele momento eu só tinha atenção para o Pirarucu. Pedi ao amigo Edgard que fizesse o “sacrifício” de brigar com aquele peixe e ele rapidamente aceitou.


Logo se revela uma bonita Pirarara e minha briga continuava!


Ainda daria tempo do amigo conseguir capturar outra Pirarara e finalizar a briga antes que eu vencesse o duelo contra aquele valente Pirarucu.


Foram aproximadamente 40 minutos de briga e o alívio quando a batalha terminou foi muito grande, não só por poder descansar um pouco, mas principalmente por saber que aquele bichão não conseguiu escapar. Os Pirarucus nos surpreenderam bastante porque sinceramente não esperávamos que eles brigassem tanto assim. Vem pro Loucos bichão!




Enquanto eu terminava esta briga, duas carretilhas cantaram alto ao redor daquele piscoso lago, então o Ueuler me ajudou na filmagem enquanto os irmãos Edgard e Fernando formaram um belo dublê de Pirararas.



Já tínhamos perdido totalmente a conta de quantos peixes de cada espécie tínhamos capturado, quando uma puxada violenta nos traria o verdadeiro prêmio da pescaria. O Fernando fisgou o gigante, capturado com guelra, percebeu que era Pirarucu e passou o equipamento para o Edgard brigar. A sorte foi que o equipamento era pesado e dessa forma foi possível trabalhar o monstro com mais tranquilidade. Quando o peixe encostou na margem foi difícil colocá-lo dentro do passaguá, mas com cuidado o surreal exemplar foi garantido!


O Pirarucu tinha mais de 1,70 m porque o Edgard tem 1,73 m e dá para notar nitidamente na foto que o pescador era um pouco menor que o peixe. Sensacional!



Passada a euforia pela captura do gigantesco Pirarucu, voltamos nossa atenção ao final da tarde, período em que a pesca continuou incrível. Na mussarela fisguei minha Pincachara!


As Pirararas continuavam muito ativas!




O funcionário me disse que estava surpreso com o tanto de peixe que estávamos capturando e também com a nossa disposição, pois a cada peixe que tirávamos só conseguíamos pensar em pegarmos mais ainda. A vara dobra então o negócio é trazer o bicho né Fernandão?


Era mais um Pirarucu monstro do Point da Pesca e para melhorar consegui tirar junto uma Pirarara formando assim um belíssimo dublê! Reparem no tamanho deste exemplar de Pirarucu, muito comprido!


Cinco minutos se passaram e a situação se inverteu. Era a minha vez de travar um duelo pesado com um Pirarucu enquanto o Fernando trazia uma Pirarara. Peixe demais!



A noite foi chegando e os últimos peixes da pescaria começariam a aparecer. O Fernando conseguiu juntar forças e lançou uma bóia atrás dos tambas, que curiosamente estavam menos ativos neste dia, mas apareceram!


Com salsicha de fundo, arremessada bem perto da margem, tive a sorte de garantir meu legítimo baguazão que estava faltando. Esse veio buscar a isca que visava as Pirararas e Pirarucus!



As últimas Pirararas também apareceram principalmente na guelra. Neste dia elas não quiseram saber da mussarela, coisas que acontecem muito na pescaria.





Não podíamos finalizar esta magnífica pescaria com outra espécie. Os Pirarucus apareceram na noturna para nos deixarem completamente satisfeitos com uma pescaria que tenho certeza que ficará para sempre guardada em nossas memórias.




Faltando dez minutos para as 22 horas, horário em que a pesca se encerraria, minha vara deita no suporte e ouço o alarme espernear na escuridão. Corri de encontro ao equipamento e travei aquela briga com muito cuidado, pois tinha perdido um Pirarucu no começo da noite, mas aquela era a chance que eu precisava para fechar nossa viagem com chave de ouro. Trago o bichão na ponta dos dedos e ele não se nega a aparecer para finalizar nossa matéria. Dá-lhe Pirarucu, bora Loucos!



Finalizamos nossa memorável pescaria e já fomos guardando nossas tralhas no carro. Logo cedo deixamos pra trás aquele lugar que apelidamos de PARAÍSO SURREAL, a verdadeira morada dos Pirarucus gigantescos!

Assista no player abaixo a imperdível TV LOUCOS 32!

Gostaríamos de agradecer os funcionários que nos deram total apoio durante nossa estada no Point da Pesca Corumbá, especialmente aos amigos Ueuler e Jonathan, mas não esquecendo de todos os outros que ajudam diariamente os pescadores que vão se divertir neste incrível hotel fazenda.

Nossos parabéns ao proprietário, senhor Paulo, por manter um lugar tão espetacular que é capaz de nos proporcionar momentos inesquecíveis ao lado dos nossos amigos e familiares. Obrigado também à Flávia pelos serviços prestados.

Aos amigos não posso dizer outra coisa senão recomendar que experimentem conhecer este lugar pelo menos uma vez na vida. Garanto que não irão se arrepender!

Grande abraço a todos e VAMOS PESCAR!!!

Imagens: Kleber Sanches, Fernando Paiva e Edgard Paiva

Texto: Kleber Sanches

E-mail: kleber@loucosporpesca.com.br

Hotel Fazenda Point da Pesca Corumbá – km 09 da BR 060 – Alexânia-GO

Fones: (61) 3248-1899 / 9137-8569 / 9692-2100

www.pointdapescacorumba.com

AGRADECIMENTOS

Romano Pesca – www.romanopesca.com.br

King Fishing – www.roupasdepesca.com.br

King Brasil – www.kingbrasil.com.br

Penn-Raiba Carretilhas – www.pennraibacarretilhas.blogspot.com.br

Massa Farofa do Carlão

Você pode deixar um comentário, ou fazer um trackback para o seu site.

22 Comentarios to “POINT DA PESCA – SURREAL! TV LOUCOS 32”

  1. Ricardo Massaro disse:

    Minha nossa sra….o que que é isso!!! Simplesmente fantástico!!! Abraços!!!

  2. Lucas disse:

    Parabéns Loucos Por Pesca! Sempre surpreendendo seus leitores com matéria no mínimo sensacionais! Grande abraço!

  3. Jehh Fazioni disse:

    Primeiro a Comentar, parabéns Rapaziada belíssima pescaria, excelente Matéria, Grandes Peixes Fisgados, Espero poder ir la um Dia

  4. Matheus disse:

    que lugar fantastico, parabéns belissima materia…

  5. Rafael Silverio disse:

    Fala Klebao…
    esse pesqueiro ai eu ja conhecia…e show de mais…
    bela pescaria..abraçao…

  6. José Levy disse:

    Parabéns a galera do Loucos, só peixão….Pescaria simplesmente show de bola.

  7. matheus disse:

    o duro é vir embora né ? kkkkkk
    pescaria show demais

  8. ROGERIO RIBEIRO disse:

    Acompanho as materias de voces com muita atençao , fico acessando a toda hora pra ver as pescarias sensacionais que fazem , mas esta foi simplesmente a melhor de todas . Voces estao de parabens , o problema é nos deixar com agua na boca rsrsrs

  9. ROGERIO RIBEIRO disse:

    Corrego das antas la vamos nós kkkkk , gostaria que estivessem por lá nos dias 14/11 a 17/11 , seria fantastico aprender alguns macetes .

  10. Fernando Godoi disse:

    Pescaria magnifica parabéns a todos, sempre acompanho suas fotos dos pesqueiros e locais por onde vcs pescam, maravilha, moro próximo da casa do Marcinho. fantástico

  11. Sergio disse:

    Fantastica pescaria. Parabens !!!!

    Acho que para ser 100 por cento perfeito, o lago poderia ser um pouco maior. Comparando com os lagos de alguns pesqueiros conhecidos, o lago deles eh similiar a qual ? Lago Azul ? Aruja ?

    Abs

  12. Gustavo Araujo disse:

    Super pescaria, parabéns!
    Como que faz para isca a mussarela?

    Abs

  13. Anderson disse:

    OLÁ EXCELENTE PESCARIA , GOSTARIA DE SABER QUANTO TEMPO DE VIAGEM SAINDO DE SAMPA , SOBRE AS ISCAS VCS LEVARAM OU ADQUIRIRAM NO LOCAL , QUE TIPO DE VARA , CARRETILHA E LINHA SERIA UMA BOA OPÇÃO PARA PESCAR LÁ , QUAL É O VALOR APROXIMADO DA DIÁRIA PARA UM CASAL ?????

    MUITO OBRIGADO E AGUARDO RESPOSTA.

  14. Com poucas palavras meus grandes parceiros… QUEBRARAM TUDO!!!!!!!!

  15. AZEITONA disse:

    FALA AMIGOS,EXCELENTE REPORTAGEM…JA ESTOU DE MALAS PRONTAS NOVEMBRO ESTOU LA!!! POR FAVOR QUAL ANZOL ADEQUADO PARA OS PIRARUCUS!!!

  16. Kleber Sanches disse:

    Obrigado a todos pelos elogios. Gustavo, você deve comprar aqueles “blocos” de mussarela que são vendidos em supermercados. O ideal é manter a isca numa caixa térmica para ficar firme. Corte em cubo e isque, escondendo o anzol. Usei o circle hook e ficou excelente. Aconteceu de amolecer a isca no final da pesca e acabei fazendo uma “massa” de mussarela e tb deu certo. Abraços

  17. Kleber Sanches disse:

    Anderson, são cerca de 1050 km desde São Paulo capital. Dá mais ou menos 10 horas de viagem ou pouco mais. As estradas são boas em 90% do tempo. As iscas levamos todas daqui mesmo. Os bichos são mto briguentos lá. Para pescar de fundo os Pirarucus e Pirararas recomendo varas de 80 lbs e carretilhas de perfil alto com linha 0,60 ou 0,70mm. Para buscar os Pirarucus na superfície com salsicha ou tilapinha, varas de 30 ou 40 lbs, carretilhas de perfil redondo com linha 0,45 ou 0,50mm são boas opções. Sobre preço de diária é mais fácil você consultar no site deles ou diretamente pelo telefone, contatos estão no final da matéria, pois pode sofrer alteração. Grande abraço!

  18. Kleber Sanches disse:

    Azeitona, sempre que possível utilize o circle hook. Este anzol é simplesmente fantástico tanto para os Pirarucus quanto outras espécies como Pirararas, pois os peixes não engolem. Ele fica no canto da boca, facilitando muito sua retirada. Abraços

  19. Azeitona disse:

    Valeu pelas informações , vcs são muito prestativos, alias loucos nota 10!!!

  20. Elcio Reis disse:

    PQP QUE SHOW!
    Já que o loucos judiou dos pescadores com essa matéria, que tal um pacote para o point?
    infelizmente é difícil juntar quatro pescadores para uma pescaria deste porte, se o loucos viabilizar com certeza já tem um participante!

    Abçs e parabéns aos que nos trazem matérias como estas.
    Elcio Reis

    Obs. há tempos o Lago Azul vem se destacando com seus belos Baguas que tal uma matéria lá? fica a dica!

    Obrigado e “Vamu Pesca”

  21. Rodrigo disse:

    Fala kleber , tem idéia de quantos km de sao Paulo ate lá.

    Abraços

    Rodrigo Marcilis

  22. carlos caramelo disse:

    MEU QUE SHOW DE PESCARIA …SO GIGANTE BOA MATERIA

Deixe um comentario