PARAÍSO VERDE – FENOMENAL! TV LOUCOS 29

PARAISOVERDE2013

A Equipe Loucos por Pesca realizou uma pescaria de gigantes que prova definitivamente que o Estado de Goias é o lugar da pesca esportiva! Além de piscosos rios, destacam-se clubes de pesca como o Paraíso Verde, um lugar incomparável e que abriga uma infinidade de monstros que habitam os sonhos dos pescadores!

 

 

 

 

Olá amigos do Loucos por Pesca!

Finalizando nossa viagem por terras goianas, fomos até Campo Limpo de Goias, próximo à Anapolis, para conhecer o Clube de Pesca Paraíso Verde. O nome reflete bem o que é o local e a preocupação dos seus administradores é manter não só um bom pesqueiro, mas também um lugar muito agradável para o pescador praticar o seu esporte e levar sua família.

Vamos conhecer um pouco deste paraíso!



Tudo é cercado por muita área verde. Há diversos bancos e mesas de madeira formando uma praça onde é possível descansar à sombra e ouvir a natureza se manifestar.



Há uma quadra coberta para a prática de esportes e duas convidativas piscinas para amenizar o calor da região, uma infantil e a outra adulta.


Restaurante à beira do lago principal e funcionários a todo momento anotando os pedidos e servindo os pescadores em seus quiosques.



Os quiosques estão em volta de todo o lago, possuem mesas e cadeiras para maior comodidade, além de oferecerem sombra durante o dia e iluminação para a pescaria noturna.




O lago principal tem excelente tamanho e permite bons arremessos.



Fomos muito bem recepcionados pelo Juninho, administrador do local, uma pessoa que dispensa comentários e se tornou logo de cara um grande amigo. Quando chegamos estava caindo uma chuva torrencial e decidimos aceitar o convite para almoçarmos no restaurante, onde aproveitamos para pegar algumas informações deste piscoso lago.

Há diversas espécies presentes, como: Pacu, Tambacu, Tambatinga, Tambaqui, Pintado, Cachara, Pincachara, Cachapira, Pirarara, Pirarucu, Matrinchã, Tilápia, entre outras.

O Juninho nos relatou que as Pirararas não estavam tão ativas como de costume e que frequentes chuvas nos últimos dias tinham sujado bastante a água. Confesso que ficamos um pouco preocupados no começo, porém queríamos testar na prática as informações.

As 16 horas terminamos de arrumar nossas tralhas e nos acomodamos nos poucos quiosques livres que tinham num canto do lago já que o pesqueiro estava extremamente lotado nesta tarde.

Apesar de estar bem longe do centro do lago, onde costumeiramente observamos subirem os grandes redondos, iniciamos as copadas e para nossa surpresa os peixes já começaram a devorar a ração. Assim, com nossas conhecidas bóias cevadeiras e os tradicionais chicotes de 2 metros de linha 0,50mm monofilamento, bóinha guia, evas na linha e 2 no anzol de robalo 2/0 com miçanga, iniciamos as capturas!


Não foi preciso muito tempo para o primeiro dublê aparecer na pescaria!


Minutos depois da soltura destes Tambacus, o Fernando assusta com a sua vara quase indo pra água. A salsicha boiando, lançada a poucos metros da margem, tinha sofrido um voraz ataque de uma gigantesca Pincachara!



O suporte já estava sendo arrancado do chão quando o pescador chegou para a fisgada!


Os evas mais escuros mostravam maior eficiência e nos permitiram muitas capturas!



Alguns pescadores da região chegaram do nosso lado durante este final de tarde e logo nos reconheceram das matérias no Loucos por Pesca. Ficamos pescando todos juntos e com muitos peixes! O Marquinhos garantiu o seu tamba.


Variamos bastante as miçangas e tínhamos ações em praticamente todas elas, desde as tradicionais café com leite, caramelo, marrom, até bolinhas de futebol de diversas cores, mas os evas cor de ração foram os mais efetivos!


Os amigos nos informaram que no Paraiso Verde os tambas continuam comendo ração na superfície mesmo quando escurece e não é que eles estavam certos? Escuridão no lago e batida seca nos evas!


Já tínhamos passado pelo final da tarde, a promissora noite se iniciava, porém ainda faltava uma das espécies que mais cobiçamos em nossas pescarias. Aproximadamente as 20:30 canta o primeiro alarme das nossas carretilhas. O Fernando assume a pesada batalha que traria a aguardada recompensa, a primeira Pirarara do Paraíso Verde!


Pirarara fisgada na cabeça de Tilápia.


Ficamos conversando bastante com os novos amigos, ouvindo as histórias animadoras de pescarias realizadas no Paraíso Verde, quando o Juninho teve uma puxada bruta e a sua vara dobrou bem na nossa frente! Ele travou com força o bicho e quando a monstra chegou na margem veio a grande surpresa!


Pirarara gigantesca na guelra de Tilápia.


Reparem na barriga deste animal!


Os amigos foram embora instantes depois e resolvi voltar a cevar. Coloquei um pequeno luminoso (starlight) na minha bóinha do chicote e logo os peixes começaram a rodear minha bóia, resultando inevitavelmente no reinício das capturas!



O Edgard também garantiu seus peixes nesta modalidade. Ele e o Fernando preferiram utilizar o starlight na cevadeira e não colocaram a bóinha.


Enquanto nos divertíamos com os tambas, veio o ataque surpresa do famoso molinetão do Loucos! A vara do Edgard embodocava fortemente e uma boa briga se iniciava novamente no Paraíso Verde. Era nossa segunda Pirarara que já trazia maiores esperanças aos pescadores!

Aproveitávamos os intervalos entre as puxadas dos violentos peixes de couro para cevarmos. Com isso a noite foi passando mais rápido e diminuindo a ansiedade que antes atingia os pescadores. Uma pancada violenta nos evas e tenho uma briga digna de um gigante, com tomadas de linhas mais curtas e pesadas, denunciando o baguázinho!




Outro alarme berra no silêncio da madrugada e finalmente era o meu equipamento. A cabeça de Tilápia, deixada desde o final da tarde na água, era a responsável por atrair a terceira Pirarara da nossa equipe nessa pescaria.



Com intervalo menor do que 30 minutos entre cada captura, o Fernando engata uma boa sequência de tambas na cevadeira. Os bichos subiam bem na nossa frente, onde mantivemos a ceva sem precisar lançar muitos grãos de ração.



Os gigantes brigavam conforme já estamos acostumados e não era difícil identifica-los logo no começo dos duelos, aumentando nossa expectativa e adrenalina! Belo baguá para o Loucos por Pesca!


Estávamos cansados pela viagem e decidimos que nossa pescaria noturna estava próxima do final. Decidimos recolher os equipamentos e testar o point ao lado do restaurante antes de encerrarmos a pesca nesta madrugada. Deixamos apenas as varas pesadas armadas e após cerca de 30 minutos de espera, quando eu estava conferindo os equipamentos, passando na frente da minha vara “matadora” ela dobra violentamente! Foi inacreditável e uma sensação indescritível ver aquela puxada quando eu estava praticamente tirando a vara do suporte. A briga foi muito pesada e não foi fácil frear as investidas da gigante Pirarara!



Combinamos de aguardar mais trinta minutos para ver se teríamos mais ações naquele ponto do lago, mas como nada ocorreu resolvemos ir descansar afinal um dia inteiro de pescaria nos aguardava.

SEGUNDO DIA NO PARAÍSO VERDE

Apesar de animados em termos um dia inteiro pela frente, decidimos descansar um pouco mais e não fomos para a beira do lago tão cedo. As informações dos amigos se confirmaram e realmente a sexta-feira foi com a presença de poucos pescadores no pesqueiro.

Começamos a cevar e a resposta veio instantaneamente com muitos redondos subindo imediatamente para comer. Dessa vez estávamos no desejado ponto, bem no centro do lago, onde com apenas alguns grãos de ração na cevadeira já conseguíamos atrair os gigantes para nossos evas e miçangas! Dá-lhe Paraíso Verde!


Meu inicio foi arrasador!


Foram quatro peixes em seguida e alguns gigantes nos braços!



Uma porrada seca no eva, gerando aquela assustadora onda na superfície, água para todos os lados e um rabo negro saindo pra fora da água me traziam a notícia de um legítimo baguá à caminho! Não temos palavras para descrever a pescaria de cevadeira no Paraíso Verde, o lugar é simplesmente perfeito para essa modalidade.



Não deixem de conferir esta imperdível TV LOUCOS! Várias fisgadas, estouros nos evas e muitas brigas de peso estão presentes neste programa.

Com o sol raiando forte, fato que não intimidava muito as ações dos redondos, o Edgard garante o último Tambacu antes de almoçarmos. Peixe de bom porte como todos os outros que fisgamos neste curto período que passamos em Campo Limpo de Goias.



Após o almoço e um breve descanso à sombra, voltamos a cevar e sempre com muitos peixes na ponta da linha!


Uma briga com corridas mais intensas e longas nos trouxe o primeiro Tambaqui. O exemplar não era grande mas esta espécie sempre vale muito a pena!



Entrei numa maré de azar e perdi vários peixes fisgados. Os amigos compensaram e fizeram um verdadeiro massacre de redondos na parte da tarde. Dá-lhe baguázada pro Loucos!




O pesqueiro não poderia ter um nome mais fiel do que este.





Os Tambaquis só queriam saber do Edgard neste dia. Ele estava usando evas cor de ração e a famosa bolinha de futebol vermelha, cuja eficiência já foi amplamente aprovada pela nossa equipe em diversas pescarias.



Era cevar e aguardar a porrada na superfície!


Confira estes momentos na TV LOUCOS 29!


O bicho apareceu lentamente e bem próximo do eva, sugou alguns grãos, afundou vagarosamente e já surgiu explodindo no conjunto do Edgard! Resposta imediata do pescador, fisgada firme, deixando o rastro na água e uma briga de peso para garantir um legítimo baguá!




O Fernando resolveu testar a labina na superfície e a isca boiando no meio da ceva foi fatal para um grande Tambacu! Os gigantes se mantinham em plena atividade o dia inteiro!




Não dava nem tempo pra ficar cansado. Ignorávamos o forte calor goiano tamanha era a adrenalina de ter tantas brigas seguidas e assim fomos capturando muitos peixes, sendo bem comum formarmos dublês. Nesta oportunidade foi possível tirarmos os dois juntos para a foto.



E o final de tarde também foi desta maneira. Era encher o copo de ração, fazer o lançamento e rapidamente vinha a pancada! Pescaria espetacular e que sentiremos saudades!



Lá vem o brancão! Estes brigavam demais!



No finalzinho da tarde, observando bons rebojos em um determinado ponto do lago, resolvo colocar a filmadora pra filmar e faço o arremesso perfeito! A bóia cevadeira cai na água, tento ajeitar o chicote pro eva ficar em cima da ceva, porém logo tomo o contra-ataque! Que porrada fenomenal!


O peixe dá uma rabada fora da água e a bóia se mantém na superfície durante toda a briga. Não precisei de muito tempo para afirmar: “Nossa, esse é bom!”. O peixe quase esgotou minhas forças, não aguentava mais aquela batalha, mas quando o bicho pranchou na margem veio o sorriso no rosto do pescador. Era o meu cobiçado Tambaqui gigante!



O famoso verdão goiano!


A noite chegou e fomos jantar para repormos as energias para a última noturna. Voltamos e os peixes continuavam subindo na ração e no mesmo esquema da noite anterior tivemos boas ações!


Edgard garante uma boa Tambatinga, peixe hibrido, originário do cruzamento do Tambaqui com a Pirapitinga. Muito brigador e resistente!



As varas pesadas continuavam na água, agora com as iscas renovadas com a chegada da noite. Tive apenas uma puxada no final da tarde, uma boa briga na cabeça de Tilápia, que com certeza me traria uma Pirarara, mas o anzol simplesmente escapou da boca do peixe após alguns minutos.

No comecinho da noite, para trazer muito ânimo à nossa equipe, vejo a vara do “matador molinetão” dobrando próxima de nós e aviso o Fernando. Ele sai correndo, tira com dificuldade o equipamento do suporte e dá a famosa sequência de confirmadas que tanto gostamos. A batalha é demorada e muito pesada! Quando o peixe chega próximo da margem, a tensão toma conta do pescador, mas com paciência a gigantesca Pirarara é retirada da água. Sensacional!



A robustez desta Pirarara nos deixou assustados e extasiados!


O Fernando buscou forças e conseguiu erguer a barriguda!



Infelizmente não estávamos com as coisas preparadas para pesar na hora, então preferimos agilizar a soltura. Não gostamos de especular peso, mas era muito gigante e gorda!



Minutos depois, o mesmo equipamento, com a mesma isca, a infalível guelra, deita no suporte e dessa vez o Edgard foi para a briga. O peixe era de menor porte, porém uma Pirarara de linda coloração!



Esta era a sexta Pirarara da nossa pescaria no Paraiso Verde e o Edgard profetizou na TV LOUCOS que tentaríamos alcançar a marca de 12 Pirararas ainda naquela noite. A verdade é que não sei de onde ele tirou este número, queria justamente o dobro das capturas conquistadas até então, seria possível?

Continuamos pescando tambas e sempre com uma produtividade inacreditável!





Começou então uma tempestade e um festival de raios que explodiam para todos os lados. No mesmo instante recolhemos as varas que usávamos para pescaria de tambas, equipamentos de 2,40 a 2,70m, que não queríamos que fossem alvos dos perigosos raios.

Resolvemos manter apenas as varas pesadas armadas, até porque estas não precisavam ficar em nossas mãos, então não teríamos riscos com elas nos suportes.

A chuva durou aproximadamente uma hora, período em que não tivemos puxadas, mas quando ela parou o negócio começou a ficar excelente! Minha vara iscada com cabeça de Tilápia, a mesma que tinha garantido todas as minhas Pirararas, sofre um ataque e a carretilha canta forte antes da fisgada! Era a sétima Pirarara e dessa vez um exemplar gigante!




Após um breve intervalo, começaria a reta final e o período em que as Pirararas ficariam enlouquecidas! Novamente o bote vem na cabeça de Tilápia, mas dessa vez é o Fernando que briga para garantir a oitava danada do rabo vermelho, outra de respeito!




Já estávamos muito cansados, afinal eram incríveis cinco dias seguidos de pescaria, todos com muitas ações de gigantes, mas queremos sempre mais! Aproveitamos aquele finalzinho da melhor maneira possível e assim vieram a nona e minutos depois a décima Pirarara!



Que pesqueiro é esse meus amigos? O Paraíso Verde é top!



Como num filme que precisa ter o esperado final, como num espetáculo de grandeza que o público sempre espera o encerramento perfeito, o ápice aconteceu no finalzinho da nossa noturna! O Edgard duelava com uma Pirarara, estávamos registrando a décima primeira para nosso programa, quando minha vara dobra no suporte! As duas brigas foram pesadas e no final não tinha como encerrar melhor nosso programa do que com duas gigantes Pirararas no Paraíso Verde!




Assim finalizamos nossa pescaria neste pesqueiro que te surpreende a cada segundo. O Edgard profetizou e acertou as doze Pirararas, mas teríamos alcançado certamente um número ainda maior naquela noturna, pois os bichos estavam enlouquecidos e tínhamos um bom tempo de madrugada pela frente. Infelizmente tínhamos que descansar, pois na manhã seguinte pegaríamos nosso voo de retorno.

O Paraíso Verde nos proporcionou uma pescaria com muitas ações a todo instante, já que os tambas subiram o tempo inteiro, sem intervalos, e as Pirararas nos exigiram muita energia na pescaria noturna. Talvez o Juninho tenha razão, pois pescadores nos relataram que costuma ser ainda melhor de Pirarara, inclusive com ações durante o dia, mas se desse jeito já foi bom, imaginem como seria esse pesqueiro ainda melhor?

Assista no player abaixo a TV LOUCOS 29!

Agradecimentos principalmente ao Juninho, uma pessoa nota mil, que desde o primeiro instante nos tratou com muita amizade e respeito, fazendo todo o esforço possível para nos ajudar. Nosso muito obrigado também a todos os funcionários do Paraíso Verde, desde as excelentes cozinheiras até os assistentes que ficam na beira do lago e que nos prestaram ótimo serviço.

Aos amigos pescadores não podemos dizer outra coisa. Recomendamos o Paraíso Verde para todos aqueles que gostam de um bom atendimento, de um lugar bonito e familiar, boa comida e principalmente para quem deseja realizar uma pescaria inacreditável! Haja braço para tanto peixe grande! O Paraíso Verde é também o paraíso da pesca esportiva!

Abraços a todos e VAMOS PESCAR!!!

Imagens: Kleber Sanches, Edgard Paiva e Fernando Paiva

Texto: Kleber Sanches

E-mail: kleber@loucosporpesca.com.br

Paraíso Verde – Campo Limpo de Goias

Fones: (62) 3345-1518 / 9159-1059

www.paraisoverdepescaelazer.com.br

AGRADECIMENTOS

Romano Pesca – www.romanopesca.com.br

King Fishing – www.roupasdepesca.com.br

King Brasil – www.kingbrasil.com.br

Penn-Raiba Carretilhas – www.pennraibacarretilhas.blogspot.com.br

Massa Farofa do Carlão

Você pode deixar um comentário, ou fazer um trackback para o seu site.

14 Comentarios to “PARAÍSO VERDE – FENOMENAL! TV LOUCOS 29”

  1. Ze Paulo (Zeppha) disse:

    Ai sim clebão vixiiiiiiiiii, o site ta cada vez melhor hein, ptz a filmagem das explosões nos eva’s é tudo de bom eitaaaaaa deu vontade de pescar agora kkkkkkk
    abç

  2. Anderson disse:

    Caraca , que show de pescaria !!!!! Morro de vontade de ir nesses pesqueiros . Cara qual salsicha vc’s estão utilizando , aqui em sampa nada flutua mais . Gostaria de umas dicas de evas , cor , tamanho etc . Vcs não teriam algumas fotos para eu poder ver a montagem . Agora na equipe do loucos tem a mãe Dina . To assustado e logo logo vou solicitar algumas previsões ok.

    Abraço Anderson

  3. Ricardo Massaro disse:

    S E N S A C I O N A L!!!! Show de imagens e só peixe bruto!!!! Abs.

  4. Rafael Silverio disse:

    Fala Kleber….bela pescaria no paraiso verde…no dia que vcs estavao la fui la conhecer vcs na sexta a noite…mandaram muito bem nas piras heim..so as bitela….abraçao…

  5. Tiago Ferreira disse:

    posso dizer que essa matéria foi para matar o pescador do coração….só eu dei umas dez fisgadas aqui no vento..kkk as explosões nos eva’s foram de mais….show de matéria, parabéns a toda eq. do loucos por pesca!!!!!aee edgard arrebentou nas piras hein brother!!!!

  6. Alexandre disse:

    Indescritível, acompanhei cada segundo com a mesma vibração que vocês. Uma maravilha de matéria e a TV então nem se fale monstruosa parabéns demais. Vocês são exemplos mesmo de dedicação e respeito pela pesca esportiva.

  7. Henrique de Castro disse:

    O Paraíso verde e realmente um pesqueiro muito bom, o melhor da região vai ai uma foto de uma Pirarara que peguei…

    https://fbcdn-sphotos-e-a.akamaihd.net/hphotos-ak-ash4/395679_462971910425040_441307033_n.jpg

  8. julio vansan disse:

    Pessoal fui pescar no ultimo final de semana no Taquari em São Roque, tirei alguns tambas mas perdi muito mais do que tirei.
    Preciso saber qual é uma linha boa para pescar esses gigantes.
    Qual a linha que vocês indicam?

    Júlio Vansan

    • Sergio disse:

      Julio,

      Sempre vou pescar no Taquari. Com uma linha mono de 0.37 a 0,42 mm vc consegue tirar os gigantes. Só que tem que ser linha boa (triumph, applaud, etc..). Além disso, a linha “roeu” tem que trocar… senão se entra um baguá ele arrebenta….Dá uma dó jogar a linha fora e dói no bolso, mas para trazer aqueles gigantes de 20 – 30kgs se o equipamento não estiver adequado não traz não.

      Abs,

  9. Kleber Sanches disse:

    Anderson, nós utilizamos a salsicha holambra, mas mesmo ela algumas vezes não está mais flutuando. Em breve farei uma matéria com montagens para cevadeira, evas e miçangas. Grande abraço!

  10. Kleber Sanches disse:

    Valeu Rafael Silvério. Foi um prazer pra todos nós sua presença no pesqueiro exclusivamente para conversar conosco. Você é muito gente boa e pretendemos pescar contigo na próxima visita hein. Grande abraço!

  11. Kleber Sanches disse:

    Julio, para pescar de cevadeira eu particularmente prefiro linha multifilamento. Uso a Power Pro de 30 lbs (0,28mm). A fisgada é seca e a resposta imediata te traz maior chance de engatar os bichos. Se quiser pescar com mono, uma linha que eu gosto muito é a Triumph. Ela tem um preço um pouco mais elevado do que a maioria, mas a qualidade é espetacular. Para chicote tenho usado com sucesso a linha Vexter da Marine Sports monofilamento 0,50mm. Espero ter ajudado. Grande abraço!

  12. José Levy disse:

    Parabéns galera, que lugar mais show….se Deus quiser ainda vou conhecer.

  13. Alvaro disse:

    Boa tarde amigos do Loucos, maravilhosa pescaria, parabéns, mas gostaria de tirar algumas duvidas, se possível, tenho muita vontade de pescar no paraiso verde, mas sou do Rio de janeiro, no pesqueiro tem como se
    hospedar?

Deixe um comentario